Nos bastidores, bancos privados admitem que erraram

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 09:51, por: cdb

Um a um, os bancos recuam e preveem juros menores. Depois do HSBC tomar a liderança, esta semana o Santander anunciou taxas mais baixas para as linhas voltadas às micro e pequenas empresas.

Mas há muito mais em jogo. A Folha relata na matéria “Bancos recuam e preparam juro menor” que as instituições privadas, internamente, já reconhecem que erraram no debate com o governo ao radicalizar suas posições, via presidente da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), Murilo Portugal.

Nos bastidores, finalmente, os bancos privados admitem que, se não mexerem na taxa de juros, estarão no caminho certo da perda clientes, principalmente as empresas médias, entre as quais é comum trabalhar com vários bancos e fazer cotação entre eles para os serviços financeiros.

Exatamente como o previsto…

Enquanto isso, na CEF…

Alheia ao mal estar evidente entre os bancos privados, a Caixa Econômica Federal comemora o expressivo crescimento no volume de empréstimos concedidos após o lançamento do programa de redução de juros, há pouco mais de uma semana.

No último dia 9, as taxas de juros da Caixa foram reduzidas em até 88%. A expectativa é conseguir atrair cerca de 2 milhões de novos correntistas. E os primeiros resultados indicam que o banco público está a caminho de alcançar seus objetivos.

Os financiamentos voltados para pessoa física alcançaram R$ 518 milhões nos cinco primeiros dias do programa Melhor Crédito. Ou seja, representa um avanço de 17% na comparação com a semana anterior ao lançamento.

A CEF também viu crescer sua a base de clientes pessoa física em impressionantes 11%. Houve aumento, ainda, nas concessões para empresas. Nesta modalidade o banco registrou um volume 9% superior ao registrado na semana anterior ao início do programa.