Nokia apresenta smartphone com Windows mais barato

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 09:18, por: cdb
Smartphone
Stephen Elop, executivo-chefe da Nokia, apresenta novos celulares no Mobile World Congress

A Nokia apresentou nesta segunda-feira um novo celular inteligente, mais barato, equipado com o software Windows Phone, da Microsoft, para tentar reverter o declínio de sua participação de mercado.

No ano passado, a Nokia abandonou seu software para celulares inteligentes em troca do Windows Phone para ganhar força na disputa contra rivais como o iPhone, da Apple, mas a mudança até o momento teve impacto limitado devido ao preço alto dos modelos equipados com o novo software.

A Nokia anunciou que o novo modelo Lumia 610 custará 189 euros ( US$250), excluídos subsídios e impostos, quando chegar às lojas no próximo trimestre. “O 610 leva a linha Lumia da Nokia a uma situação de preços nova e encorajadora, em sua disputa contra os rivais Android de preço mais baixo”, disse Ben Wood, diretor de pesquisa da CCS Insight.

Os investidores pareciam céticos quanto à capacidade do novo modelo e preço para promover recuperação, e as ações da Nokia caíam em cinco por cento, para 4,10 euros. “Minha expectativa era a de uma faixa de preços ligeiramente mais baixa. Talvez os mercados tenham se decepcionado com o preço, bastante alto”, disse Mikel Rautanen, analista da Inderes, lembrando, porém, que as ações da empresa haviam registrado alta na sexta-feira dada a expectativa do lançamento.

A Nokia também anunciou uma versão mundial de seu Lumia 900, um modelo mais caro, durante a feira Mobile World Congress, em Barcelona. Também anunciou o novo 808, um modelo sofisticado dotado de sensor de câmera de 41 megapixels, e três celulares mais básicos.

A fatia da Microsoft no mercado de celulares inteligentes caiu a apenas dois por cento no trimestre passado, ante três por cento no mesmo período em 2011 e 13 por cento quatro anos atrás, de acordo com a Strategy Analytics.

Analistas do setor e de Wall Street dizem que embora os mais recentes celulares Windows sejam capazes de concorrer bem com o Apple iPhone e os modelos Android mais caros, lhes faltam qualidades únicas que gerem uma decolagem de vendas.