No Irã, oposição acusa Ahmadinejad de transgredir a Constituição

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 1 de junho de 2011 as 11:35, por: cdb

Da Agência Lusa
 

Brasília – O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, enfrenta pressão de um grupo de parlamentares que não quer que ele ocupe interinamente o cargo de ministro do Petróleo. Porém, a interinidade só poderá ocorrer se o Parlamento do Irã e as autoridades judiciais considerarem a iniciativa constitucional. Para 165 deputados, a decisão de Ahmadinejad está cercada de “violações” à Constituição do país.

Na carta enviada às autoridades judiciais, os deputados afirmam que a decisão de Ahmadinejad de “não ter nomeado ministro interino e assegurar a ele próprio o cargo é contrário à lei”. Os parlamentares disseram também que é “ilegal” que o “presidente assuma o cargo como ministro interino, pois são decisões que envolvem fundos públicos”.

No último dia 15, Ahmadinejad anunciou a decisão de ocupar provisoriamente a pasta do Petróleo, depois de ter demitido o titular durante reforma ministerial que determina ainda a fusão desse ministério com o da Energia.

Para a oposição, Ahmadinejad agiu de forma ilegal. Mas o Conselho Constitucional apoiou sua decisão. Na semana passada, a Presidência da República do Irã informou que há uma leitura diferenciada da Constituição e que Ahmadinejad se manterá como ministro interino do Petróleo.