No fim do prazo legal, políticos buscam legenda para eleições de 2010

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 30 de setembro de 2009 as 13:18, por: cdb

Presidente do PT, Ricardo Berzoini adiantou, nesta quarta-feira, em sua página no Twitter que o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, se filiou ao Partido dos Trabalhadores. Ele não adiantou, porém, se o chanceler será candidato a algum cargo público nas eleições de 2010.

“O ministro Celso Amorim é o mais novo filiado ao PT. Uma grande satisfação para nosso partido ter como filiado esse extraordinário ministro”, diz Berzoini.

Conclui-se, até sexta-feira, o prazo para filiações a partidos políticos para as eleições de 2010, o que mobilizou o cenário político do país, com a transferência de políticos para as várias legendas aptas a lançar candidatos. No final da tarde desta quarta-feira, a portas fechadas, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, confirmou sua fliação ao PMDB. Ele preferiu não adiantar qualquer informação sobre em que cargo pode concorrer em 2010, embora o mais provável é que seja ao Senado, por Goiás, embora também sejam ventiladas as hipóteses de ele concorrer como vice em uma possível chapa encabeçada pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República.

Meirelles reuniu-se, na véspera, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva antes de se filiar ao PMDB. Ele afirmou a jornalistas, após o encontro, ter recebido de Lula duas recomendações, aceitas de imediato: Não concorrer ao governo de Goiás e ficar no BC ao menos até março de 2010, prazo para a desincompatibilização das autoridades que desejam buscar um cargo eletivo.

– O presidente também manifestou a preferência para que eu permaneça até dezembro de 2010, mas disse que respeitaria uma decisão de saída em abril de 2010 caso fosse minha opção. Certamente este será um importante fator a ser levado em conta – afirmou.

Outro político que mudou de partido, nesta quarta-feira, foi o ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz. Ele assinou a ficha de filiação ao Partido Social Cristão (PSC), deixando para trás o PMDB.