Nelsinho Piquet vai fazer testes na Fórmula 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de outubro de 2003 as 15:45, por: cdb

Em meados de dezembro, o brasileiro Nelsinho Piquet, terceiro colocado no Campeonato Inglês de Fórmula 3 neste ano, fará seus primeiros testes numa equipe de Fórmula 1. Será na Williams, em Jerez de la Frontera, na Espanha. O piloto passou o fim-de-semana em Brasília, onde assistiu às corridas de Stock Car. Nelsinho rompeu o silêncio do Team Piquet Sports e disse onde andará pela primeira vez na F-1. A revelação foi feita quase sem querer, apenas com um aceno de cabeça.

O piloto disse que tem conversado muito pouco com o pai, Nelson, sobre o assunto. Ele reconhece, no entanto, que não “sabe como será andar num carro de Fórmula 1. Agora não é possível descrever a emoção que vou sentir. Só quando chegar lá saberei”. O piloto também confirmou que, no próximo ano, continuará na Fórmula 3 inglesa, possivelmente tendo como companheiro de equipe o paulista Xandynho Negrão, atualmente disputando a F-3 Sul-Americana pela Piquet Sports, mesma equipe de Nelsinho na Europa.

Cauteloso, Xandynho garante que seu projeto para a próxima temporada é continuar vivendo entre Brasília e São Paulo, correndo o Sul-Americano. “O problema é que eles querem fazer algumas modificações no campeonato e isto talvez me leve para a Europa”, admitiu o piloto.

Entre as modificações questionadas por Xandynho, está a possível proibição de treinos antes do início da temporada, a exemplo do que acontece na Inglaterra. “Lá isto é feito por causa do clima, pois é inverno. Aqui, no começo do ano, nós estamos em pleno verão, melhor época para os treinos”.

Xandynho garante, no entanto, que tudo indica que vai correr pela Piquet Sports. Na equipe brasiliense, atualmente ele é o quarto colocado no Campeonato Sul-Americano de Fórmula 3, a apenas um ponto do terceiro. A última etapa da competição será disputada em meados de novembro, em Brasília. “Eu poderia ser o vice aqui, mas tive problemas na última prova no Paraná”, lembra.