Negociações para pôr fim à rebelião em presídio na Bahia são retomadas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 9 de fevereiro de 2010 as 12:32, por: cdb

Uma rebelião liderada por 25 detentos do Conjunto Penal de Serrinha (BA) já dura mais de 24 horas. De acordo com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do estado, as negociações foram retomadas às 6h desta terça-feira.

Os presos estão, neste momento, em uma espécie de minipavilhão, com oito celas onde ficam os mais perigosos e outra em que estão aqueles ameaçados de morte. O local tem capacidade para 30 detentos e, atualmente, abriga 29.

Quatro homens estavam na cela onde ficam os presos ameaçados de morte. Na segunda-feira, detentos que participam da rebelião danificaram o sistema de automação das portas e conseguiram entrar na cela. O interno Joselito Alves da Silva – conhecido como Carioca – foi morto e os outros três permanecem reféns.

Nota divulgada pela secretaria informa ainda que a direção do presídio lacrou as portas que dão acesso ao minipavilhão, isolando os detentos, e que a Polícia Militar da Bahia reforçou a segurança externa. O corpo de Joselito Alves da Silva continua no local.

A única reivindicação dos presos é o retorno para Salvador, uma vez que 14 deles, acusados de integrar uma quadrilha, foram transferidos para Serrinha em 21 de setembro de 2009. O secretário da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Nelson Pellegrino, já adiantou que a reivindicação não vai ser atendida e que, logo após o fim da rebelião, será instaurado inquérito para apurar a morte de Silva.

Está suspenso o fornecimento de energia elétrica e de água no local.