Negociações em Bangum III permanecem sem avaços

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de dezembro de 2003 as 12:17, por: cdb

A Polícia do Rio de Janeiro retomou na manhã desta quarta-feira as negociações com os detentos rebelados no complexo penitenciário de Bangu 3. De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária, ainda não houve avanços nas negociações. O motim começou por volta das 11h e os presos mantêm cerca de 40 funcionários reféns.

O subsecretário de unidades prisionais do Rio, coronel Francisco Spargole, comanda as negociações com os rebelados. Segundo a secretaria, uma das exigências dos presos são carros para fugir. A penitenciária tem capacidade para 896 presos e abriga 781. Todos os presos participam do motim.

A luz e a água de Bangu 3 continuam cortadas por ordem do secretário de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos. Ele não aceitou as exigências dos detentos nesta terça-feira e suspendeu as negociações por volta das 20h. Os criminosos ameaçavam matar os reféns.

Nesta terça-feria, os detentos mataram com dois tiros de fuzil o agente penitenciário Luís Cláudio Lima Bonfim, 33 anos. Ele estava num carro com três colegas e levaria quatro internos para o Fórum, no Centro.

Liderados por Renato de Souza Paula, o Ratinho, acusado de participar da morte do jornalista Tim Lopes, os detentos – aproximadamente 50 – pretendiam escapar da unidade no veículo, usando uniformes dos agentes. Após os disparos, guardas e PMs impediram a fuga, mas os bandidos deram início à rebelião.