Nadador norte-americano diz ter omitido fatos da polícia do Rio para proteger colegas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de agosto de 2016 as 13:04, por: cdb

As autoridades brasileiras devolveram o passaporte de Feigen e permitiram que ele deixasse o país depois de pagar uma multa de R$ 35 mil

Por Redação, com Reuters – de Nova York/Tóquio:

 

O nadador norte-americano Jimmy Feigen pediu desculpas nesta quarta-feira por ter omitido detalhes essenciais quando disse à polícia do Rio de Janeiro que ele e colegas da equipe dos Estados Unidos tinham lidado com um homem armado durante os Jogos Olímpicos deste mês.

O nadador norte-americano Jimmy Feigen
O nadador norte-americano Jimmy Feigen

Em um comunicado publicado no site de uma firma de advocacia de Austin, no Texas, Feigen disse não ter contado à polícia que os nadadores urinaram atrás de um posto de gasolina ou que seu colega Ryan Lochte arrancou uma placa de propaganda de uma parede do posto.

– Percebo que cometi um erro ao omitir esses fatos. Estava tentando proteger meus colegas de equipe, e peço desculpas por isso – disse Feigen, de 26 anos.

As alegações iniciais dos atletas, que disseram ter sido assaltados à mão armada, constrangeram o Brasil, em meio a casos de assalto a turistas durante a Olimpíada, até a Polícia Civil carioca acusar Lochte, de 32 anos, de inventar a história para acobertar a vandalização do posto de combustível.

Em uma entrevista concedida à Rede Globo no último sábado, Lochte disse lamentar ter exagerado em sua versão, mas afirmou não ter mentido.

Feigen disse que um homem apontou uma arma para ele no posto de gasolina e que na ocasião não sabia dizer se o indivíduo tinha ligação com o posto. Ele e o também nadador Gunnar Bentz lhe deram dinheiro, afirmou.

– Foi a primeira vez que me apontaram uma arma, e fiquei aterrorizado – disse.

Segundo a polícia, o homem que apontou a arma era um segurança do posto que cobrou dos nadadores que pagassem pelos danos no local.

As autoridades brasileiras devolveram o passaporte de Feigen e permitiram que ele deixasse o país depois de pagar uma multa de R$ 35 mil.

Feigen contou ter chegado em casa no último sábado, e elogiou a população do Rio “por sua hospitalidade ao sediar estes Jogos”.

– Não tenho nada além de respeito pela cidade por arcar com a responsabilidade enorme de sediar a Olimpíada, e acho que seu desempenho foi exemplar – disse.

Bandeira olímpica

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, levou a bandeira olímpica do Brasil para o Japão nesta quarta-feira e pediu para que todos os lados trabalhem juntos para sediar uma Olimpíada de sucesso em 2020.

Koike, eleita no mês passado após dois antecessores renunciarem por escândalos que mancharam a preparação olímpica da cidade, recebeu a bandeira durante cerimônia de encerramento dos Jogos Rio 2016, no domingo.

– Vamos trabalhar juntos com todos para sediar uma boa Olimpíada e Paralimpíada, à medida que a bandeira olímpica, que acabou de chegar, é um símbolo disso – disse a governadora a repórteres após desembarcar no aeroporto de Haneda.

Os Jogos de Tóquio têm sofrido uma série de problemas, incluindo a mudança de planos para o principal estádio, o que levou a atrasos na construção, e acusações de plágio que forçaram organizadores a trocarem o logo original dos Jogos.

Koike voltou no mesmo avião dos atletas japoneses que participaram da Rio 2016, na qual o Japão ganhou 41 medalhas, sendo 12 de ouro. Este foi o melhor resultado do Japão desde 2004.

Comments are closed.