‘Na última reunião só consegui comer pão de queijo’, diz Aécio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 1 de setembro de 2003 as 20:55, por: cdb

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse ao chegar para o encontro no gabinete do presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), que os governadores buscarão o diálogo com o governo até o último instante.

Segundo ele, a vinda deles à reunião demonstra o respeito ao Congresso, mas frisou que se colocará contra qualquer votação da reforma tributária sem que haja um entendimento. Ele negou que qualquer das reivindicações feitas pelos governadores aumente a carga tributária.

– Da minha parte, enquanto não houver entendimento, estarei me colocando contra a votação ao texto. Mas como eu acredito na sensibilidade do governo de construir efetivamente uma reforma tributária, vamos negociar até o limite do possível, agora na Câmara e depois no Senado. Em não havendo avanços nas negociações, é difícil votar como está – afirmou.

Ao ser perguntado sobre a possibilidade de fatiar a reforma, Aécio disse que não acha que isso seja o ideal para o país e que, se o interesse do governo fosse esse, o mais correto seria que editasse medidas que tratassem especificamente de seus pontos de interesse, e não uma reforma da legislação.

O governador disse esperar que haja avanços nessa reunião, porque, na anterior, a única coisa que conseguiu “foi comer pão de queijo”.

Já o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), disse que eles esperam que o Congresso atenda às reivindicações dos estados, destacando que é preciso garantir que não haverá aumento da carga tributária.

Segundo ele, o governo não apresentou um texto sobre a partilha a Cide e é preciso acertar alguns pontos antes de aprovar a reforma tributária.