NA HORA DE VENDER VALE QUALQUER COISA, MAS O SERVIÇO…

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 2 de agosto de 2001 as 10:27, por: cdb

A desregulamentação das telecomunicações pode até ter tido efeitos positivos como aumento da oferta de linhas, evolução tecnológica nos serviços de comunicação (voz ou dados), mas em alguns aspectos nada mudou. E esse é o caso da Telemar RJ que foi a sucessora da Telerj no processo de privatização, porém com todos os vícios da sua época de pior das estatais de telecomunicações brasileiras e que mereceu o apelido de “Telerda”.
Bom, o nome e o dono mudaram só que as práticas de má fé comercial e péssimo atendimento continuam de uma tal forma que a operadora pode muito bem ser apelidade de Telemardita, tal é arrogância e descaso com que trata seus clientes (responsáveis finais pelo faturamento da empresa e pelos salários dos seus prepotentes funcionários)
Se na última coluna cheguei a comentar que a Anatel consegue ser efeciente na fiscalização das operadoras vai aqui uma retificação: no caso da Telemar, isso simplesmente não acontece ou por omissão ou de forma proposital, já que muita gente hoje na Agência já passou pelos quadros da Telerj em outras épocas.
O resultado são práticas comerciais onde o telemarketing chega a prometer praticamente tudo com o objetivo de vender um novo serviço para o usuário incauto, só que não dá as informações reais sobre prazo de instalação. Uma informação que o usuário só descobre quando liga para reclamar que a Telemar já estourou em muito o prazo dado para agendar a instalação e aí (depois de muita musiquinha no telefone e ser jogado de um atendente para outro) fica sabendo que com sorte o serviço será instalado lá pelo final do ano ou, quem sabe, no início do próximo.
E isso é apenas um dos muitos problemas da Telemardita. Quando o usuário liga para tentar resolver problemas com suas contas como, por exemplo, como fazer para pagar uma conta atrasada e evitar o bloqueio da linha, ele só consegue informações erradas que acabam provocando mais problemas. E o pior disso é que mesmo que o usuário anote o nome do atendente que deu a informação errada, ninguém se responsabiliza e quem paga o pato para variar é o usuário/cliente.
Em resumo: continuamos com a pior operadora do País, pagando contas caras por um serviço que não presta e a Anatel simplesmente não faz nada.
Assim não dá!!!!