Músico brasileiro negro é espancado por policiais na Espanha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 as 08:41, por: cdb
O maestro Israel de França teve a vida marcada por perseguições e racismo
O maestro Israel de França teve a vida marcada por perseguições e racismo

Vítima de um ato de racismo na década de 80, que colocou o Brasil em situação difícil, internacionalmente, o músico Israel de França é conhecido por sua história de superação. Pernambucano, o artista se viu novamente em meio à violência, desta vez, na Espanha, onde foi espancado, noite passada. Maestro e violinista da Orquestra de Camara Ciudad de Granada, o artista foi espancado por policiais do Corpo Nacional de Polícia da Espanha, quando caminhava por uma das ruas do bairro de Zaidin, onde mora.

Israel caminhava com um amigo, pela rua, quando foi levado para dentro de um edifício e espancado por policiais. O caso foi relatado pelo próprio violinista, que está em casa, recuperando-se. Segundo afirmou, não houve qualquer motivo para a ação e os policiais sequer o interrogaram, durante o espancamento.

– Apenas me batiam e batiam – lembrou Israel, em relato de pessoas próximas ao músico brasileiro. O homem que estava com Israel na rua foi mantido do lado de fora do prédio, por ordem dos policiais, enquanto o amigo era espancado.

Israel mora há 23 anos na Espanha. Desde criança, no bairro de Peixinhos, em Olinda, a violência persegue o artista pernambucano. Ele foi vítima, ainda criança, de um episódio de racismo que chocou o país. Ele foi detido quando corria nas proximidades do Parque 13 de Maio, com o violino na mão, para não se atrasar para uma apresentação, e só foi liberado depois de tocar o instrumento para provar que era realmente músico.

Segundo os amigos, o artista encontra-se muito abalado e passa a maior parte do dia em casa. Em Agosto, Israel de França esteve em Recife, onde participou do Festival de Música Erudita.