Murphy aparece em segundo nas pesquisas para presidente da Argentina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 21 de abril de 2003 as 11:36, por: cdb

Faltando somente sete dias para as eleições presidenciais na Argentina, a grande surpresa tem sido o crescimento do candidato Ricardo López Murphy, economista, ex-ministro de Economia do governo de Fernando de la Rúa. Segundo uma pesquisa da consultoria Equis, do analista Artemio Lopez, que realiza uma das poucas pesquisas sérias de intenção de votos no país, López Murphy perde somente para Néstor Kirchner, na área metropolitana, onde o ex-ministro aparece como alternativa ao peronismo. Além disso, Murphy está captando boa parte do voto anti-menemista, porção disputada pelos outros dois peronistas Kirchner e Adolfo Rodríguez Saá e Elisa Carrió, do Alternativa por uma República de Iguais (ARI).

A pesquisa realizada por Artemio López entre segunda e quarta-feiras passadas, sobre 800 casos e com uma margem de erro de mais ou menos 3,45%, mostra Kirchner com 21,8% dos votos positivos, descontando os ausentes, nulos, brancos e impugnados, e muito perto de López Murphy , com 17,6%; superando a Carlos Menem, com 16,5%; Elisa Carrió, com 12,8%; e Rodríguez Saá, com 9,1%.

Com esta nova mostra da intenção de votos na Capital Federal e Grande Buenos Aires, López Murphy aparece com sérias chances de brigar pelo segundo turno com Kirchner ou Menem. A opinião dos analistas não é unânime, não só pelas diferentes técnicas de medição que utilizam mas também porque alguns deles são muito ligados a determinados candidatos, o que compromete a credibilidade das pesquisas de opinião. Julio Aurelio e Eduardo Fidanza, da consultoria Catterberg e Associados, por exemplo, dão como certo que Menem irá para o segundo turno e que este será disputado com López Murphy, o que daria vantagem para o ex-presidente que somaria os votos dos demais peronistas que votaram em Kirchner e em Saá no primeiro turno. Vale lembrar que Julio Aurelio foi o homem de confiança de Menem para realizar todas as pesquisas para a Casa Rosada em seu governo (1989-1999).

Ricardo Rouvier, outro analista considerado sério, acredita que existe um empate técnico entre Kirchner e Murphy pelo segundo lugar que seria disputado com Menem. Já Manuel Mora e Araújo (consultoria Mora & Araújo), Enrique Zuleta Puceiro (Ibope) e Analía del Franco (Analogías) colocam Murphy em terceiro lugar, depois de Kirchner e Menem, enquanto que Hugo Haime o mantém em quarto lugar, depois de Rodríguez Saá.

A socióloga Graciela Römer aposta num segundo turno entre Kirchner e Menem, dividindo ao meio o Partido Justicialista e seus votos peronistas, mas ela não descarta que o crescimento de Murphy poderá ser a grande surpresa dos resultados do primeiro turno.