Múmia anunciada como Nefertite pode ser de homem

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 30 de agosto de 2003 as 20:59, por: cdb

A múmia que uma egiptóloga britânica afirma ser da famosa rainha Nefertite, conhecida por sua beleza, pode ser, na verdade, de um homem.
 
A revelação foi feita pelo secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, Zahi Hawass, neste sábado. Mulher e co-governante do faraó Akhnaten e madrasta do legendário rei Tutancamon, Nefertite é conhecida como a mulher mais poderosa do Antigo Egito.

Em junho, a especialista britânica em mumificação Joann Fletcher, da Universidade de York, disse que ‘havia grandes possibilidades’ de sua equipe ter desenterrado os restos mortais de Nefertite de uma tumba no Vale dos Reis em Luxor, no Egito. Mas Hawass expressou suas dúvidas quanto ao gênero da múmia descoberta.

– Tenho certeza que esta múmia não é fêmea – disse Hawass, em entrevista em seu escritório no Cairo.

Um relatório remetido pelo líder da expedição da Universidade de York, Don Brothwell, ao conselho afirma que ‘pode ter havido alguma confusão sobre o sexo do indivíduo’. No entanto, o documento conclui que a múmia era fêmea devido à falta de evidências da existência de uma genitália masculina.

Hawass disse que o brinco duplo na orelha da múmia era algo comumente usado por ambos os sexos, mas num período diferente à Era Amarna, na qual viveu Nerfetite. Segundo ele, essa prática era mais comum entre homens.

– Todas as rainhas usavam brincos em suas perucas, não em suas orelhas – contou Hawass, que trabalha no meio há 35 anos.

Ele lembrou que a múmia do sexo masculino encontrada ao lado do suposto corpo de Nefertite também usava os brincos na orelha.

– Nefertite deu à luz seis vezes, então seus quadris deviam ser muito largos, mas os quadris desta múmia são muito estreitos – disse Hawass, que inspecionou a múmia na última sexta-feira.

O professor de Egiptologia da Universidade Americana no Cairo Salima Ikram disse que um exame de raios-X vai esclarecer se a múmia deu à luz.