Mulheres que seqüestraram filhas do presidente da Reuters são presas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de abril de 2003 as 15:19, por: cdb

A Polícia de São Paulo prendeu duas mulheres suspeitas de participação no seqüestro das três filhas do presidente da Agência Reuters do Brasil, Ricardo Diniz.

Os policiais da 2ª Delegacia de Crimes Contra o Patrimonio encontraram também parte do arsenal utilizado pela quadrilha. Num barraco chamado de “Buraco do Bin Laden” foram encontradas armas, munição, granadas e colete à prova de balas.

O arsenal estava escondido embaixo de uma cama onde dormiam quatro crianças. O delegado Edson Santi, titular da delegacia, dará uma coletiva às 17h30.

A polícia já havia prendido dois participantes do seqüestro. O porteiro do prédio das vítimas, Márcio Brecht Fernandes, confessou ter repassado informações para a quadrilha.

Segundo Fernandes, a escolha da família foi feita em razão do sobrenome. A quadrilha agiu pensando que a família seqüestrada era parente do presidente do Grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz. O porteiro não se deu conta de que eram duas famílias diferentes.

Segundo a polícia, o líder da quadrilha seria Márcio Douglas Silva Batista, o Diga, de 24 anos. Ele também foi preso.

A polícia está à procura de outros três integrantes da quadrilha que já foram identificados: Weder Dantas Bernardes, 22 anos, Welington Teodoro Bernardes, 28 anos, e Edison Vieira dos Santos, 33 anos.

As três crianças foram libertadas após o pagamento de R$ 46 mil. Foram recuperados R$ 8,5 mil que estavam com Diga.