Mulher presa pela Operação Anaconda é transferida para Brasília

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 1 de dezembro de 2003 as 22:53, por: cdb

Presa desde o final de outubro, Norma Regina Cunha, ex-mulher do juiz federal João Carlos da Rocha Mattos, foi transferida nesta segunda-feira da Polícia Federal (PF) de São Paulo para Brasília por motivos de segurança.

Assim como Rocha Mattos, ela é suspeita de integrar um esquema de venda de decisões judiciais,descoberta a partir de uma operação denominada Anaconda. De acordo com a assessoria de comunicação da PF, a decisão de transferir Norma foi tomada para evitar que ela seja coagida por outros presos a não falar sobre o que sabe.

Além de Norma, o juiz Rocha Mattos e outros suspeitos estão presos por determinação da Justiça Federal. Norma chegou a Brasília às 18h30. Quinze minutos depois, foi levada para a sede da Superintendência da PF onde ficará presa.

De acordo com informação de um agente, a ex-mulher de Rocha Mattos dividirá a cela com outra mulher, presa por tráfico de ecstase.

Recentemente, Norma fracassou na tentativa de conseguir se livrar da prisão. O ministro José Arnaldo da Fonseca, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou pedido para que fosse revista decisão tomada em outubro pelo vice-presidente do STJ, Edson Vidigal, que havia mantido a sua prisão provisória da auditora fiscal aposentada.

Ao tomar a decisão, José Arnaldo da Fonseca levou em consideração a informação de que teriam sido encontrados mais de US$ 500 mil em uma operação de busca e apreensão realizada no apartamento de Norma em São Paulo.