Mulher é nomeada presidente da Academia Romana de Arqueologia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de maio de 2003 as 19:59, por: cdb

Professora da Universidade de Roma especializada em arqueologia, Letizia Pani Ermini acaba de tornar-se a primeira mulher a ocupar um alto cargo no Vaticano ao ser nomeada como presidente da Pontifícia Academia Romana de Arqueologia.

Aos 65 anos, a professora Pani Ermini foi designada nesta quarta-feira por um decreto do papa João Paulo II para encabeçar a cúpula da instituição cultural pontifícia, da qual era secretária, em substituição a monsenhor Victor Saxer.

Até esta quarta-feira, todos os cargos importantes da Santa Sé haviam sido ocupados por homens, enquanto as diretorias das instituições estão em mãos de religiosos do sexo masculino. Só existem dois subsecretários leigos (varões) nos ministérios do Estado e da Cidade do Vaticano.

As Academias Pontifícias têm um “poder” inferior ao das Congregações ou dos Conselhos Pontifícios, onde sempre o maior cargo é dado a um religioso que seja pelo menos bispo.

A professora Ermini Pani é filha de Giuseppe Ermini, um especialista em Idade Média, senador democrata-cristão e redator da Constituição italiana. É casada com um advogado e tem dois filhos. Vive perto da antiquíssima Basílica de Santa Cecília, no bairro do Trastevere, e é muito considerada nos meios acadêmicos de Roma.

A recém-nomeada dirigente é coordenadora da área de doutorado em pesquisas arqueológicas e em antigüidades pós-clássicas da universidade estatal La Sapienza, da capital italiana.