MST manifesta disposição de ajudar o governo a gerar empregos no campo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de fevereiro de 2003 as 20:19, por: cdb

Representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) manifestaram nesta terça-feira, ao se reunir com o ministro do Trabalho, Jaques Wagner, interesse em ajudar o governo na geração de empregos no campo.

Segundo o coordenador do MST, João Paulo Rodrigues, se for elaborado um bom programa que inclua qualificação rural , os assentamentos da reforma agrária poderão gerar até um milhão de novos empregos.

“O meio rural brasileiro é muito rico e tem muito campo de trabalho para o jovem”, disse Rodrigues. “E o MST quer ajudar, disponibilizando seus assentamentos”.

De acordo com João Paulo, o ministro disse que o governo está disposto a ampliar as relações com o Movimento dos Sem Terra, mas pediu calma até que as coisas se estruturem.

“Fomos muito bem recebidos pelo ministro do Trabalho e isso nos mostra que o governo Lula está disposto a dialogar com a sociedade”, disse o coordenador do movimento.

Outro assunto discutido foi a manutenção da verba pública destinada às famílias de agricultores do país.

Atualmente cada família recebe por ano R$ 2 mil para crédito agrícola, sendo que 30 por cento desse total são financiados pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

“Esse crédito é importante para a manutenção das famílias no campo. O governo precisa continuar investindo em reforma agrária, pois esta é a melhor alternativa para se gerar empregos”, afirmou Rodrigues.

Já existe um projeto de governo destinado à geração de empregos no meio rural, mas segundo João Paulo, precisa ser bem detalhado para inserir o maior número de pessoas no campo.

Nos próximos meses, representantes do MST vão se reunir com o ministro do Trabalho para discutirem o projeto. A próxima reunião deve acontecer na primeira semana de março.