MPRJ denuncia 10 pessoas por explosão de caixas eletrônicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 25 de setembro de 2015 as 13:50, por: cdb

Por Redação, com agências – do Rio de Janeiro:

O Ministério Público do Estado Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Promotoria de Justiça de São Francisco de Itabapoana, norte Fluminense denunciou os integrantes da quadrilha que explodiu e furtou R$ 148.554,00 de caixas eletrônicos no centro da cidade.

dez pessoas são denunciadas por explosão de caixas eletrônicos no Norte Fluminense
dez pessoas são denunciadas por explosão de caixas eletrônicos no Norte Fluminense

O promotor de Justiça Sergio Ricardo Fernandes Fonseca ressalta que os criminosos expuseram a perigo a integridade física e o patrimônio de terceiros, mediante explosão de substâncias de efeitos análogos à dinamite. Isso porque, próximo ao local, havia várias residências.

Segundo o promotor, durante a Operação Detonação, deflagrada no dia 17 de setembro, pelo MPRJ em conjunto com as polícias Civil, Militar e agentes da Polícia Rodoviária Federal foi encontrada em poder dos denunciados grande quantidade de explosivos idênticos aos usados nas explosões. Na ocasião, dezoito pessoas foram presas, incluindo os denunciados.

Foram denunciados o líder do bando, Lucas Ramos de Oliveira, vulgo “Lucas Mineiro”; Evaldo Pereira da Silva; Eugênio de Oliveira; Welton Souza da Silva; Lucas da Silva Ferreira; Josenilton Monteiro Cerqueira; Uelton Alves Areas; Wanderson Fernandes Ramos; Felipe Nunes de Meneses; Glauber Duarte da Silva. Eles vão responder, cada um de acordo com a conduta delituosa praticada, por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, associação criminosa, furto e explosão.

Tráfico de drogas

A Polícia Civil fez na quinta-feira uma operação contra o tráfico de drogas no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio. Foram presas 27 pessoas, dez delas em flagrante.

Segundo o delegado Carlos Eduardo Rangel, entre os presos estão suspeitos de cometer roubos e furtos no comércio do centro da cidade, em residências e nas praias da zona sul durante os fins de semana. “São indivíduos que atuam especificamente voltados para o cometimento de delitos patrimoniais nessas áreas”, disse.

– É importante a gente frisar que nós não estamos falando de uma organização criminosa propriamente dita. Nós não temos um aparelho de poder organizado, nós temos uma estrutura, um núcleo criminoso que é associado ao tráfico de entorpecentes do Complexo da Penha – acrescentou.

A Secretaria Municipal de Educação informou que, por causa da operação, três escolas e duas creches da região não funcionaram na parte da manhã. Essas unidades escolares atendem a 1.164 alunos no turno matinal. De acordo com o órgão, as aulas perdidas serão repostas.