MP obtém prisão preventiva de milicianos no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 11 de novembro de 2015 as 13:16, por: cdb

Por Redação, com ARN – do Rio de Janeiro:

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 20ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos, informou que requereu a prisão preventiva de nove pessoas acusadas de praticar os crimes de formação de milícia privada, extorsão e furto de cargas. De acordo com a denúncia, o grupo atuava em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, há quase um ano.

Liderados pelos irmãos Robson Manoel da Silva, vulgo “Cabeça”, e Leandro Manoel da Silva, vulgo “Boquita”, os milicianos, fortemente armados, extorquiam empresários do ramo da construção civil no Distrito Industrial de Campo Grande obrigando-os a entregar ao grupo, semanalmente, caminhões de cimento e concreto.

Paralelamente, os criminosos operavam um esquema de furto de cimento de uma das empresas extorquidas. Parte da carga era desviada e armazenada em galpões, constantemente vigiados pelos membros da milícia. Depois de reempacotado em sacos de 50 quilos, o material era revendido, a preços mais baixos, no mercado negro.

Todos os nove milicianos denunciados já se encontram presos à disposição da Justiça.

Paralelamente, os criminosos operavam um esquema de furto de cimento de uma das empresas extorquidas
Paralelamente, os criminosos operavam um esquema de furto de cimento de uma das empresas extorquidas

Operação

Agentes da Operação Lapa Presente (OLP), da Secretaria de Estado de Governo do Rio de Janeiro, prenderam, na noite de terça-feira, um homem foragido da Justiça.

Durante patrulhamento na Rua dos Arcos, os agentes abordaram Magner Souza de Carvalho Júnior, de 23 anos, que não portava nenhum documento de identificação. O homem foi conduzido à 5ª DP (Mem de Sá), onde, após consulta ao sistema, foi constatado um mandado de prisão em aberto pelo crime de Associação ao Tráfico de Drogas. A ocorrência foi registrada e Magner foi preso.

Lançada pela Secretaria de Estado de Governo com o objetivo de garantir a segurança e o direito de ir e vir dos moradores e frequentadores da região do Rio Antigo, a Operação Lapa Presente deu início às suas ações de fiscalização no dia 1º de janeiro de 2014. Desde então, até a madrugada desta quarta-feira, os agentes cumpriram 415 mandados de prisão – sendo 18 por homicídio, 188 por roubo, 84 por furto, 45 por tráfico de drogas e 80 por outros crimes.

Além disso, 2.804 pessoas foram detidas por porte de entorpecentes, sendo 2.678 detidas por posse para consumo e 126 presas por tráfico de drogas. Também foram conduzidas à delegacia 86 pessoas por porte de arma branca, 20 por portar arma de fogo, 297 por roubo e furto e 922 por outros delitos. Foram aprendidos também aproximadamente 16 kg de drogas (maconha, cocaína, crack e ecstasy).