Morro da Providência ganha UPP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de abril de 2010 as 11:40, por: cdb

O Morro da Providência, no Centro do Rio, vai receber a sétima Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da cidade nesta segunda-feira. Segundo o governo do Estado, cerca de 600 mil pessoas serão beneficiadas na comunidade, que é considerada oficialmente a primeira favela do Brasil.

O complexo que receberá a UPP engloba as comunidades do morro da Providência, Pedra Lisa e Moreira Pinto. A unidade, ainda de acordo com o governo do Estado, terá impacto direto em toda a região portuária – Caju, São Cristóvão, Praça da Bandeira, Santo Cristo, Gamboa, entre outros.

Atuarão na sétima unidade 255 policiais, com o comando do Capitão Glauco Schorcht. A UPP da Providência ficará instalada num prédio de cinco andares. Segundo a Polícia, A UPP irá beneficiar cerca de 600 mil pessoas sejam, direta ou indiretamente.

Policiais dos Batalhões de Choque e de Operações Especiais ocupam a favela há aproximadamente um mês.

PAC

Já na próxima quarta-feira, começam as obras do PAC da Baixada Campista, um dos projetos mais importantes para a região. O governador Sérgio Cabral e a secretária de Estado do Ambiente, Marilene Ramos, darão inicio às obras do programa de recuperação do sistema de drenagem dos canais da Baixada Campista. Além de Campos, o projeto vai beneficiar ainda os municípios de São João da Barra e Quissamã.

O evento será na Avenida Deputado Alair Ferreira (antiga Estrada do Açúcar), Parque Visconde Donana, no município de Campos/RJ. Na ocasião serão entregues também as obras emergenciais realizadas pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), nos municípios de Campos e Sao Joao da Barra por ocasião das cheias de 2008 e 2009, com investimentos de R$ 40 milhões – R$ 20 milhões do Governo Federal e a outra metade do Fundo Estadual de Conservacão Ambiental (Fecam). Participam ainda da solenidade, o presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Luiz Firmino Martins Pereira.

Conforme o cronograma, nos proximos 12 meses serão investidos R$ 97 milhões – R$ 92 milhões provenientes do Ministério da Integração Nacional e R$ 5 milhões do Fecam – destinados à recuperação do subsistema São Bento/Quintiguta/Coqueiros e Lagoa Feia considerados como prioridade pelo Governo do Estado. Isso porque, dos 1.500 quilômetros de rios e canais que cortam a Baixada Campista, esse subsistema abrange mais de 70% da região. Os canais abertos para irrigação da área agricultável pelo extinto DNOS há mais de 30 anos vêm tendo sua capacidade de drenagem e adução reduzidas pelo abandono e falta de manutenção.