Morre Ciccio Ingrassia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de abril de 2003 as 17:48, por: cdb

O ator italiano Ciccio Ingrassia, que formava uma dupla cômica com Franco Franchi, morreu na tarde desta segunda-feira em Palermo, sua cidade natal. Ingrassi tinha 80 anos e sofria de problemas respiratórios.

Juntos, Franco e Ciccio interpretaram mais de 150 filmes, na maioria paródias de filmes mais famosos como Feios da Noite, Os Dois Filhos de Ringo e Adivinha Quem Vem para Merendar?.

Ciccio Ingrassia era por assim dizer a metade inteligente da dupla, enquanto Franco Franchi era o bobo que arfava como um cão quando via uma mulher bonita e elas estavam sempre presentes e suscintamente vestidas em seus filmes.

Os dois formaram uma dupla fixa a partir de 1948, mas só chgaram ao cinema em 1960, quando passaram a fazer de oito a dez filmes por ano. Típicos representantes da comédia del arte vulgarizada no teatro de revistas, Franco e Ciccio repetiam esquetes e piadas, até que nos anos 80, o talento de Ingrassia foi notado por grandes diretores como Federico Fellini e Elio Petri.

Ambos deram o melhor de si mesmos em filmes como o episódio Che Cosa Sono le Nuvole de Capricho à Italiana,/i>, de Pier Paolo Pasolini, em que atuaram ao lado dos comediantes Totó e Domenico Modugno. Ou o Gato e a Zorra de Pinóquio, levado à televisão por Luigi Comencini tendo no elenco Nino Manfredi e Gina Lollobrigida. Ou ainda, com o episódio pirandelliano de La Giara, da minissérie dos irmãos Paolo e Vittorio Taviani Kaos.

Nos anos 80 Ciccio Ingrassia interpretou um velho louco em Amarcord de Fellini, no qual subia em uma árvore e gritava “quero uma mulher!”. Viveu um sinistro político italiano no panfleto de Elio Petri Todo Modo, com Marcello Mastroianni.

Na década de 90, os jovens cineastas impediram Ingrassia de ser esquecido: Felice Farina diretor de Condominio, Leone Pompucci de Camerieri e Daniele Luchetti de Domani Accadrà. Ciccio Igrassia pôde assim demonstrar que atrás do cômico se ocultava um ator de raça, superior ao que ganha o pão de cada dia contando as mesmas piadas e repetindo as mesmas cenas.