Morales afirma que Bolívia não está comprando uma dúzia de ovos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de maio de 2007 as 17:21, por: cdb

O presidente boliviano Evo Morales disse nesta quinta-feira que as diferenças entre a estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales de Bolívia (YPFB) e a Petrobras serão superadas por meio de diálogos e negociações. De acordo com a Agência Boliviana de Informações (ABI), ao comentar um possível prazo de 48 horas dado pela Petrobras para que a YPFB se manifeste sobre a proposta de venda de duas refinarias, Morales disse que a análise do tema não está sendo tratada como um ultimato.

– Não estamos comprando uma dúzia de ovos, mas refinarias -, afirmou o presidente boliviano.

– Há qualquer momento podem haver novidades. Há um trabalho de 24 horas com reuniões permanentes. Há qualquer momento vou voltar a La Paz para tomar certas decisões depois de receber os informes técnicos -, completou.

Evo Morales negou que na proposta final apresentada pela Petrobras tenha sido oferecido US$ 120 milhões pelas duas refinarias e que o governo boliviano tenha feito uma contraproposta de US$ 110 milhões e, “por ordem” do presidente Lula, a Petrobras deveria aceitar.

Segundo a ABI, Morales reiterou que mantém boas relações com o governo brasileiro e disse que as negociações não afetarão as relações de amizade entre os dois países.

O presidente da Bolívia disse estar confiante de que a qualquer momento a Petrobras e YPFB cheguem a um acordo sobre a venda das duas refinarias brasileiras localizada naquele país, uma em Guillermo Elder Bell, em Santa Cruz de La Sierra, e a outra Gualberto Villaroel, em Cochabamba.