Moradores da Cidade de Deus ajudam a identificar responsáveis por incendiar ônibus

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de março de 2010 as 12:30, por: cdb

 A polícia tenta agora identificar a mulher grávida que, na noite desta terça-feira, fez sinal para um ônibus na Cidade de Deus, para que em seguida traficantes incendiassem o coletivo. Segundo o comandante do 18º BPM (Jacarepaguá), coronel Djalma Beltrami, os moradores estão fazendo denúncias anônimas, apontando onde estariam os traficantes que incendiaram o veículo, deixando pelo menos 13 passageiros queimados. O comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, capitão Sidnei Pazini, disse que está solicitando toda noite a presença do Batalhão de Operações Especiais (Bope) na região. Com a saída do Bope na manhã desta quarta-feira, cerca de 80 policiais do 18º BPM reforçam o policiamento no entorno. 

Há informações não confirmadas de que um suspeito de ter participado do ataque ao ônibus teria sido detido e levado para a 32º DP (Jacarepaguá). Mais três pessoas foram presas na Cidade de Deus e levadas para a mesma delegacia. Segundo o delegado da unidade, identificado apenas como João, eles foram detidos por desacato à autoridade. Enquanto os policiais faziam patrulhamento no local, o trio afrontou a PM. Um dos detidos seria o pai do rapaz Leonardo de Oliveira da Silva, de 19 anos.

O comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, afirmou que a tentativa dos traficantes de desestabilizar a UPP é um ato desesperado. Segundo o comandante, a pacificação é uma realidade e não tem volta. O coronel acredita ainda que os marginais vão tentar causar problemas, fazendo ações deste tipo, mas a polícia vai dar uma resposta imediata. Acrescentou que tem certeza de que a população apoia a UPP e a paz que o patrulhamento trouxe.

Moradores da Cidade de Deus, perto do local onde ocorreu o ataque, estão revoltados com o ato de barbárie. Uma mulher que não quis se identificar disse que achou um absurdo e estava feliz, porque vivia em paz na comunidade há um ano.