Moody’s baixa ‘rating’ da Madeira

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 22 de setembro de 2011 as 20:12, por: cdb

Agência de notação financeira adverte que a Madeira vai continuar a viver pressões orçamentais por algum tempo e que dificilmente financiará a região a a preços razoáveis. Jardim admite coligação com CDS.Artigo |23 Setembro, 2011 – 02:49Jardim já admite perder a maioria absoluta. Foto de Homem de Gouveia/Lusa

A agência de notação financeira Moody’s baixou o ‘rating’ de longo prazo da Madeira do nível B1 para o nível B3, devido aos problemas na gestão do governo e à “fraca execução orçamental”.

A agência adverte ainda que mantém as perspectivas de um novo corte. A Moody’s esclarece que “A Madeira falhou ao reporte de cerca de 1,2 mil milhões de euros (aproximadamente 130 por cento das receitas anuais da região) em responsabilidades comerciais ao longos dos últimos anos”, refere a agência de notação financeira.

“Dada a magnitude das quantias encobertas, acreditamos que a Madeira vai continuar a viver pressões orçamentais por algum tempo, uma vez que absorver essas responsabilidades nos seus orçamentos deverá levar vários anos”, afirma a agência, que alerta ainda que as necessidades elevadas de financiamento da região dificilmente serão feitas através de obrigações ou de empréstimos de longo prazo a um preço razoável.

Jardim admite coligação com CDS

Numa entrevista à RTP-Madeira, Alberto João Jardim admitiu nesta quinta-feira que a dívida da região deverá situar-se nos cinco mil milhões de euros e, perante um cenário hipotético de perder a maioria nas eleições, disse estar disponível para fazer coligação com o CDS na região.

“Se fosse preciso fazer coligação, o CDS facilitava até a vida da Madeira, porque havia uma comunhão mais forte de interesses e deixava de haver estas histórias do senhor Portas lá ser aliado do PSD e aqui ser adversário do Alberto João”.

Artigos relacionados: Passos Coelho foi mansinho com Jardim PGR abre inquérito-crime à ocultação das dívidas da Madeira