Miséria no Maranhão é o pé-de-barro da governadora Roseana Sarney

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de setembro de 2001 as 17:49, por: cdb

O virtual candidato do PT à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, disse nesta terça-feira que os indicadores sociais do Maranhão são a maior fragilidade da eventual candidatura presidencial da governadora do Estado, Roseana Sarney (PFL), que aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto. “Se (ela) não conseguiu melhorar a qualidade de vida do povo em oito anos, não vai conseguir mais”, afirmou Lula, enfatizando, no entanto, que Roseana não foi ainda lançada candidata.

O petista disse ainad que o fato de manter a liderança nas pesquisas de intenção de voto para presidente dá tranqüilidade ao PT. “Meu nome nem aparece mais nos jornais”, disse. “Os adversários discutem quem vai disputar o segundo turno”.

Lula voltou a afirmar que não é candidato e que a escolha do nome do PT para disputar a Presidência só vai ocorrer em março de 2002. A uma pergunta sobre a eventual candidatura presidencial do ministro da Saúde, José Serra, Lula respondeu que “o governo está em dificuldade” para encontrar um nome e que, por isso, tem lançado “balões de ensaio”. Para ele, as pesquisas de intenção de voto para presidente da República estão “inflacionando” a disputa.

O dia de Lula em Brasília está sendo de muitos encontros políticos. Ainda nesta quarta-feira, ele manteve uma conversa com o prefeito de Campina Grande (PB), Cássio Cunha Lima. Em seguida, seguiu para o Senado, onde encontrou os senadores Roberto Requião (PMDB-PR) e José Alencar (PMDB-MG), que já foi cotado para ser vice-candidato à Presidência numa chapa encabeçada por Lula.