Ministros árabes pedem que Síria receba monitores da ONU

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 17 de abril de 2012 as 18:04, por: cdb

Ministros árabes pedem que Síria receba monitores da ONU

DOHA, 17 Abr (Reuters) – Ministros da Liga Árabe se reuniram na terça-feira com o mediador internacional Kofi Annan e pressionaram a Síria a cooperar plenamente com a missão de paz dele, começando por oferecer acesso irrestrito a monitores estrangeiros que fiscalizarão um cessar-fogo.

A trégua vigora há seis dias em partes da Síria, mas em outras os combates persistem. Uma pequena missão da ONU chegou nesta semana ao país para monitorar o cessar-fogo.

Em nota divulgada após a reunião da Liga Árabe com Annan no Catar, o bloco disse: “Solicitamos ao governo sírio que ajude os observadores a fazerem seu trabalho e permitam o transporte e as condições para o acesso a todas as áreas da Síria, e que não imponha a eles condições que os impeçam de fazer seu trabalho”.

Annan, enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, apresentou um relatório sobre a situação à Liga, que já suspendeu a Síria dos seus quadros, e discutiu como fortalecer a missão, segundo um delegado da Liga que pediu para não ser identificado.

“Apoiamos plenamente o sr. Annan e seu plano de seis pontos, mas infelizmente a matança ainda continua”, disse o primeiro-ministro do Catar, xeque Hamad bin Jasim bin Jabr al Thani, a jornalistas depois da reunião. “Estamos temerosos de que o regime esteja jogando para ganhar tempo. Expressamos isso ao sr. Annan.”

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse em Luxemburgo que os 250 observadores que a entidade pretende enviar à Síria não serão suficientes, “considerando a atual situação e a vastidão do território”.

Ele afirmou que a ONU está pedindo à União Europeia que ceda helicópteros e aviões para melhorar a mobilidade dos monitores, e que proporá formalmente isso na quarta-feira ao Conselho de Segurança.

Não está claro se o presidente Bashar al Assad aceitaria a presença de mais monitores da ONU e de aviões estrangeiros na Síria. Uma fonte política no vizinho Líbano disse que Damasco já rejeitou o uso de helicópteros da ONU.

(Reportagem de Regan Doherty)

Reuters