Ministro saudita pede um rápido e pacífico fim da crise iraquiana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de fevereiro de 2003 as 15:00, por: cdb

O ministro do Exterior saudita, príncipe Saud, pediu hoje ao Iraque para cooperar com as Nações Unidas a fim de se chegar a um rápido e pacífico fim da confrontação com Washington. Numa entrevista coletiva hoje, ele disse que a região não suportará uma crise prolongada.

O região “precisa de uma rápida solução baseada na implementação por parte do Iraque das exigências dos inspetores (de armas da ONU)”, afirmou o príncipe Saud, acrescentando que a solução requer “de um lado, que o Conselho de Segurança (da ONU) não corra para a guerra e do outro lado que o Iraque responda plenamente ao relatório dos inspetores”.

O príncipe também negou uma informação publicada hoje pelo jornal Washington Post dando conta que os Estados Unidos e a Arábia Saudita chegaram a um acordo para a expansão das operações aéreas dos EUA a partir do território saudita para qualquer guerra contra o presidente iraquiano, Saddam Hussein.

“Eles devem saber algo que eu não sei”, replicou. “Não vejo qualquer expansão”.

O príncipe Saud reiterou seu pedido para os EUA não agirem unilateralmente.

“Uma ação unilateral não seria aconselhável nem para os interesses da situação no Iraque… nem para os interesses dos Estados Unidos”, advertiu. “Felizmente, temos visto os Estados Unidos concordando em permitir que as Nações Unidas tratem da questão iraquiana”.

Segundo o Post, citando oficiais dos EUA não identificados, os sauditas iriam permitir aos americanos o pleno uso da Base Aérea Príncipe Sultan, nas proximidades da capital, como centro de operações durante uma guerra contra o Iraque. Mas o príncipe Saud disse que a base estava sendo usada apenas para patrulhas na zona de exclusão aérea estabelecida ao fim da Guerra do Golfo, de 1991, no sul do Iraque a fim de proteger rebeldes xiitas iraquianos. “É assim que ela vai continuar sendo usada”, afirmou.

O príncipe Saud não respondeu diretamente à pergunta de se a Arábia Saudita irá pedir às tropas dos EUA e da Grã-Bretanha para deixarem o país uma vez que seja resolvida a crise iraquiana. Na época da Guerra do Golfo, os sauditas pediram a aliados ocidentais para ajudá-los a se proteger de ameaças de Saddam.

“Se os dois lados virem que não há mais necessidade de eles estarem aqui, estou certo que eles podem chegar a um acordo amigável, assim como chegaram a um acordo amigável para eles estarem aqui”, explicou o príncipe.