Ministro culpa ajuste econômico pelo crescimento do trabalho infantil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de novembro de 2003 as 13:15, por: cdb

O ministro Nilmário Miranda, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, atribuiu o aumento de 50% do trabalho infantil nas seis principais regiões metropolitanas do país, nos primeiros nove meses do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva – a pesquia foi realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – ao ajuste econômico feito pelo governo federal em 2003.

– Como conseqüência dessa política houve aumento do desemprego e queda na renda da população. Levando as famílias mais pobres a introduzirem adolescentes no mercado de trabalho, precocemente – disse o ministro.

De acordo com a pesquisa Mensal de Emprego do IBGE feita nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Belo Horizonte e Porto Alegre, o número de crianças e adolescentes trabalhando na faixa etária de 10 a 14 anos passou de 88 mil, em janeiro, para 132 mil, em setembro.

– Em primeiro lugar é preciso garantir a renda dos adultos. Haverá tanto mais trabalho infantil quanto menor for a renda dos adultos-  alertou o ministro, defendendo a política econômica adotada pelo governo, sem a qual não haveria equilibrio. Destacou que agora o país está diante da possibilidade de crescer de forma sustentável, a partir do Plano Plurianual (2004 a 2007). 

 – O plano Plurianual é que é o verdadeiro governo Lula. Vão ser anos de crescimento econômico, de incorporação dos excluidos à cidadania, de um combate duro ao trabalho infantil e ao trabalho escravo, de assegurar o direito ao trabalho às pessoas, de implementação do Programa do Primeiro Emprego. É isso que vai marcar o governo Lula-  ressaltou  Nilmário Miranda.

O ministro particou pela manhã desta quarta-feira de reunião no Conselho Nacional de Combate à Discriminação (CNCD), na sede da Procuradoria Geral da República.