Ministro acusa indústria da seca e suspende cestas básicas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de setembro de 2001 as 15:31, por: cdb

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Raul Jungmann, anunciou nesta quinta-feira, em entrevista coletiva, que vai acabar com as cestas básicas para socorrer famílias, vítimas da seca no Nordeste. A justificativa é de que do total de 944 mil cestas previstas para distribuição, no mês passado, apenas 70% foram distribuídas pelos Municípios. Jungmann atribui este resultado à “vergonhosa” indústria da seca, apontando duas possibilidades: o aumento do número de beneficiários, pelas Prefeituras, ou a retenção dos estoques nas cidades por interesses políticos locais.

Na Bahia, segundo o ministro, com 107 municípios beneficiados pelo programa, apenas 33% das cestas foram distribuídas. Em substituição às cestas básicas o governo estabeleceu um programa permanente que vai conceder, a partir de outubro, meio salário mínimo (R$ 90,00) a 962 mil famílias de agricultores em 1.787 municípios do Nordeste e 140 municípios no Norte de Minas Gerais. Nos próximos seis meses estão previstos com o programa gastos de R$ 400 milhões.

Jungmann anunciou que a partir do próximo ano já estarão previstos no orçamento recursos para essas despesas decorrentes da seca. Terão direito a receber o benefício famílias não atendidas pelo Bolsa Escola e que tenham renda mensal de até R$ 95,00, calculada no período de julho de 2000 a julho de 2001. Além disso, os beneficiários, independentemente do número de filhos, devem ser de regiões onde se constatou uma perda de 60% da produção, em razão da estiagem.