Ministra classifica como ‘dramáticas’ as informações de relatório

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007 as 21:10, por: cdb

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, classificou de “dramáticas” as informações sobre as conseqüências do aquecimento global contidas em estudo das Nações Unidas divulgado nesta sexta-feira, em Paris. Dados do relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, em inglês) apontam que o mundo teria aumentado em 10% a emissão de gases poluentes, passando de 23 bilhões de toneladas ao ano em 1990 para mais de 26 bilhões de toneladas entre os anos de 2002 e 2005.

– Continua havendo um aquecimento do planeta e com conseqüências dramáticas paras os ecossistemas, para a agricultura e para os países que tem a sua produção de energia baseadas em fontes hídricas, como é o caso do Brasil . Os problemas decorrentes de tudo isso são ambientais, econômicos, sociais, afetando principalmente as populações mais vulneráveis, mais pobres -, disse a ministra.

De acordo com Marina Silva, as informações confirmam a idéia de que desenvolvimento econômico e preservação ambiental devem estar juntos. Ela lembrou que no Brasil o desmatamento é a principal causa do aumento do efeito estufa. Já nos países desenvolvidos, a queima de combustíveis fósseis seriam os principais responsáveis pela emissão de gases poluentes.

Para a ministra é fundamental que os países se solidarizem e adotem outras fontes de energia.Caso isso não aconteça, ela acredita que será impossível reverter o quadro atual.

– É uma situação grave e cada país deve fazer esforços, de governo, de empresas, da comunidade cientifica e o esforço mesmo das pessoas. Cada pessoa vai ter que estar imbuída desse propósito de fazer com que a gente consiga preservar as condições que favorecem a permanência da vida na Terra -, disse.

A ministra lembrou que nos últimos dois anos o Brasil reduziu o desmatamento em 52% e, com isso, evitou a liberação na atmosfera de 128 milhões de toneladas de gás carbônico, principal responsável pelo efeito estufa.