Ministério Público pede internação de terceiro jovem suspeito de matar médico no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de junho de 2015 as 13:09, por: cdb
O MP, no entanto, continua apurando a participação dos três adolescentes
O MP, no entanto, continua apurando a participação dos três adolescentes

A Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude do Ministério Público (MP) pediu a internação provisória do adolescente que se apresentou à Polícia Civil como suspeito da morte do médico Jaime Gold, no dia 19 de maio, na Zona Sul do Rio de Janeiro, quando andava de bicicleta na Lagoa Rodrigo de Freitas. O adolescente, de 16 anos, deverá responder por ato infracional idêntico ao crime de latrocínio.

Além dele, dois jovens são suspeitos de terem praticado o crime. Segundo a Delegacia de Homicídios, o adolescente que se apresentou na terça-feira inocentou o primeiro jovem apreendido, também de 16 anos. Ele disse que o segundo jovem apreendido, de 15 anos, foi o autor das facadas que mataram o médico.

O MP, no entanto, continua apurando a participação dos três adolescentes. A Justiça tem até 45 dias, a partir da data em que os jovens foram apreendidos, para decidir qual medida socioeducativa será adotada. A pena máxima para adolescentes infratores é de três anos de internação em uma unidade socioeducativa.

Morte de ciclista

No dia 27 de maio, policiais da Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca, apreenderam um outro adolescente, de 15 anos, suspeito de envolvimento na morte do médico Jaime Gold, 57 anos.

De acordo com a delegada Patrícia Aguiar, encarregada do inquérito, o adolescente apreendido contou em detalhes como tudo teria ocorrido no dia do crime. Ele disse que o primeiro jovem apreendido em Manguinhos foi quem desferiu os golpes de faca que mataram o cardiologista.

A policial disse que a faca estava com o primeiro adolescente apreendido e, devido à reação do cardiologista, na hora da abordagem, ele esfaqueou o médico pelas costas. Em seguida, os jovens pegaram os pertences da vítima. O adolescente apreendido hoje levou a bicicleta do médico da Lagoa para o bairro do Jacaré, na Zona Norte. A bicicleta ainda não foi localizada pela polícia.

A delegada informou ainda que a faca suja de sangue foi entregue ao jovem apreendido e que ele se desfez dela na altura do Eixo Maracanã.

A Justiça ouviu no mês passado o adolescente de 16 anos, preso em Manguinhos, suspeito de participação do assalto que provocou a morte do médico. Ele negou novamente qualquer envolvimento com o crime. Na audiência no Fórum Regional da Leopoldina, em Olaria, subúrbio do Rio, a juíza Cristina de Araújo Góes definiu que o jovem continuará mantido internado em uma unidade do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase).