Ministério do Meio Ambiente coordena combate ao fogo em Roraima

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de março de 2003 as 12:39, por: cdb

O Ministério do Meio Ambiente vai coordenar, através do Ibama, as ações de combate ao fogo em Roraima. Participam da ação Exército, Defesa Civil, ministérios da Integração Nacional, Desenvolvimento Agrário, Agricultura, Defesa e Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Segundo o presidente do Ibama, Marcus Barros, o fogo atinge uma extensão de 60 quilômetros, três dos quais em terras indígenas yanomami. Foram detectados ainda 325 focos de calor e a previsão do tempo indica que poderá haver chuvas só daqui a 15 dias. O pedido de apoio ao governo federal para combater o incêndio foi feito pelo governador de Roraima, Francisco Flamarion Portela, na últim sexta-feira (14).

Existem atualmente na região 300 homens na linha de fogo e 100 na logística. O Exército vai auxiliar, disponibilizando equipamentos e aeronaves para transporte de pessoas, além de suporte para acampamentos e alimentação.

“É uma ação de combate ao fogo protegendo o meio ambiente e o patrimônio”, disse a ministra do Meio Ambiente Marina Silva.

Um problema constante no Estado são as queimadas realizadas pelos pequenos agricultores para preparar a terra. “Se todos fizerem isso, teremos uma situação crítica”, ressaltou a ministra, explicando a importância desse modelo de assentamento para a Amazônia onde não seja necessário atear fogo.

A ministra disse ainda que o governo não se preocupa apenas em apagar o fogo, mas principalmente em buscar um novo modelo de desenvolvimento para a Amazônia. “Para que daqui um ano, não esteja sendo discutida a mesma questão e sendo gasta uma grande quantidade de recursos para apagar o fogo, quando poderiam estar sendo realizados investimentos para que os agricultores possam ter uma forma diferente de colocar a sua roça”, destacou.

O IBAMA cassou 2.235 autorizações para a realização de queimadas em Roraima mas, mesmo assim, elas acontecem.

A ministra disse que está sendo estudado o pagamento de uma espécie de seguro-safra, para que aqueles que estão com o roçado pronto, para realizar a queimada, não o façam. Marina Silva estará em Roraima neste sábado.