Ministério da Cultura prevê criação de novos museus pelo país

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de fevereiro de 2003 as 10:39, por: cdb

A criação de cinco novos museus fora do eixo Rio-São Paulo e de um parque multicultural no interior do Nordeste são algumas das novidades anunciadas pelo Ministério da Cultura (MinC). A idéia do ministro Gilberto Gil é criar projetos que não sejam pontuais, mas que sirvam de exemplos para grandes movimentos.

“Uma das prioridades do ministério é a criação de projetos pilotos, que possam ser replicados em outras regiões”, afirma o chefe de gabinete de Gil, Sérgio Xavier.

Os novos museus nacionais estão divididos por Minas Gerais (o de Aleijadinho, em Congonhas do Campo, e o do Barroco, em Ouro Preto), Mato Grosso do Sul (Museu de Antropologia e Arqueologia do Pantanal, em Corumbá) e Bahia (Museu Afro, em Salvador). A idéia é que o quinto museu, reservado para a história do rio São Francisco, se divida entre Sergipe e Alagoas. Os recursos virão do programa Monumenta, associação entre o MinC e o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

“Acho que esses museus são tipologicamente muito pertinentes”, afirma Emanoel Araújo, ex-diretor da Pinacoteca de São Paulo e convidado por Gil para comandar uma nova fundação que cuidaria de todos os museus nacionais.

“Vou viajar esse mês e depois resolvo se aceito”, diz Araújo. “Mas já tenho idéia para mais três museus, como uma casa para o escultor Rubem Valentim e um museu da cultura nacional, ambos em Brasília. E um terceiro em São Paulo, mas esse eu não conto; é segredo.”

Uma das iniciativas para o segundo semestre é o TeleFood, show promovido internacionalmente pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação. Para sediar o TeleFood no Brasil, o MinC resolveu criar um “ecoparque multicultural” em Paulo Afonso, próximo às divisas entre Pernambuco, Bahia, Sergipe e Alagoas. “Deverá ter cinemas e esportes e será um parque permanente”, diz Xavier.