Minissaias curtíssimas no inverno londrino

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de fevereiro de 2003 as 23:08, por: cdb

Vestidos em clima de conto de fadas disputaram espaço com streetwear na Semana de Moda de Londres, no domingo, mas um dos temas do inverno foi impossível de ignorar: saltos altíssimos e minissaias microscópicas.

Embora fosse apenas o segundo dia dos desfiles das coleções de inverno 2003, a chamada pelmet mini, que mal cobre as nádegas, já foi vista em quase todas as coleções exibidas até agora. Os “fashionistas” enfrentaram o frio londrino com pernas de fora e saltos-agulha.

Elspeth Gibson, cuja clientela de celebridades inclui Madonna, Elizabeth Hurley e Cate Blanchett, colocou suas modelos na passarela numa série de vestidos sonhadores mas sofisticados, alguns em tons de rosa e azul lavado e outros em diversas cores brilhantes.

Mas sua coleção desta temporada também incluiu criações mais sexy e ousadas, como um microvestido preto com mangas longas e soltas e um minivestido de renda creme, sem alças, grudado a cada curva do corpo.

Ao lado do desfile do americano Ben de Lisi, o de Elspeth Gibson foi um dos poucos a ter lotação esgotada até agora. Muitos dos principais compradores e jornalistas internacionais que costumam encher as primeiras filas e emprestar um ar de glamour aos desfiles ainda não chegaram à Grã-Bretanha, depois da Semana de Moda de Nova York.

Criadouro de estrelas

A programação de Londres contém poucos estilistas internacionalmente conhecidos, quando comparada a Paris, Nova York e Milão. Em lugar disso, Londres tem fama de ser “criadouro” de futuros grandes nomes.

De Lisi, cujo glamour discreto é apreciado por estrelas como Kate Winslet e Rachel Weisz, expôs uma coleção delicadamente elegante para homens e mulheres.

Sua coleção tinha um clima marroquino, com peças molinhas em veludo, sedas e chiffon estampados. Cinzas esfumaçados se misturavam com vermelhos, violetas e pretos, criando um efeito discretamente sofisticado.

De Lisi disse que sua coleção é voltada à mulher “que curte se vestir bem. Ela se sente ótima porque está bela, e não se importa que todo o mundo saiba disso”.

Antes dele, Jens Laugesen fez um desfile urbano e intransigente, composto principalmente de peças de streetwear, em sua maioria pretas e cinzas, voltadas à geração jovem.

Resistentes casacos de lona ou algodão encerado eram usados com coletes longos e calças de lã, muitas vezes com gancho até o joelho.

Os jovens estilistas londrinos Julian Roberts e Sophie Cheung optaram por não fazer um desfile, a título de protesto contra a guerra.

Em lugar disso eles se hospedaram num hotel de Londres, onde vão passar uma semana na cama. Eles disseram que a frivolidade dos desfiles é inapropriada num momento em que uma guerra se aproxima.

Em comunicado à imprensa, disseram: “Não queremos fazer uma manifestação política convencional contra a guerra. Estamos defendendo o escapismo e o afastamento, em lugar do confronto direto”.

Mas eles não dispensaram por completo o instinto comercial, tanto assim que estão recebendo compradores e jornalistas para ver sua coleção, intitulada yjama Combat, desde o conforto de sua cama no hotel.