Minas Gerais tem surto de nefrite aguda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de dezembro de 2003 as 02:15, por: cdb

A nefrite aguda (infecção dos rins) fez mais 11 vítimas nesta cidade do Sul de Minas, subindo para 33 o número de pessoas contaminadas.

Ao contrário do previsto na última segunda-feira, os profissionais de Saúde não chegaram à conclusão sobre as causas do surto da doença. E uma dúvida recente aumenta ainda mais o mistério – se a transmissão da bactéria Streptococcus, responsável pelo mal, estaria acontecendo através de alimentos contaminados ou do contato de pessoa para pessoa.

Essa dúvida surgiu em função do aumento de casos de nefrite em uma mesma família – o número chega a quatro em algumas delas.
 
– Ou estas pessoas estão ingerindo um mesmo tipo de alimento contaminado com o Streptococcus, ou o contágio aconteceu de uma pessoa para outra – disse o chefe da Diretoria de Ações Descentralizadas de Saúde (Dads) de Alfenas, José Luiz Bruzadeli.

A transmissão, explica ele, pode acontecer via oral, através de gotículas de saliva durante o ato da fala, espirro ou tosse.

Bruzadeli viajou na tarde da última terça-feira para Belo Horizonte, levando mais amostras de alimentos, como queijo e sorvetes, além de material colhido dos pacientes para análises clínicas na Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Nesta quarta-feira, adianta o chefe da Dads, começa um mutirão de exames de urina, a serem feitos em crianças e adolescentes de 7 e 14 anos – cerca de 2.100 estudantes das escolas de Guaranésia.

O objetivo é detectar a presença da nefrite rapidamente, e no caso de contaminação, iniciar o tratamento antes que a infecção evolua para um quadro mais agudo.
 
– Isso aumenta as chances de sucesso e ameniza o sofrimento do paciente – explica Bruzadeli.
O mutirão de exames será feito pelos profissionais de saúde que trabalham no apoio aos médicos que cuidam dos portadores de nefrite aguda.
 
– Este é um exame bem simples, feito através do mergulho de uma fita na urina do paciente. O resultado é obtido através da coloração. No caso de nefrite, um dos primeiros sintomas é a presença de sangue na urina, facilmente perceptível – disse.

As crianças com presença de hemácias na urina farão exames complementares, já que o sintoma pode ser de outras doenças.

Os primeiros casos em Guaranésia foram diagnosticados no início da última semana. O aumento do número de contaminados assustou as autoridades de saúde, que admitem haver um surto da doença no município. O desafio dos profissionais de saúde é detectar a origem de proliferação da bactéria causadora da infecção.

Ao atacar os rins, a nefrite provoca sintomas como inchaço no corpo, aumento da pressão arterial, dor na garganta, febre alta, falta de ar e diminuição no volume de urina. Sem tratamento imediato, ela pode evoluir para um estado grave, e levar o paciente a submeter-se à hemodiálise. Neste estágio, pode até matar.