Minas Gerais tem o ‘Dia D de Combate à Dengue’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de novembro de 2003 as 01:53, por: cdb

Com a aproximação do período chuvoso, aumenta o alerta das secretarias de Saúde para evitar a propagação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Seis mil agentes serão mobilizados em todo o Estado para o ‘Dia D de Combate à Dengue’, que acontece no próximo dia 29. Só neste ano, a doença do tipo hemorrágico matou três pessoas em Minas, contra dois óbitos registrados no último ano.

O número de casos confirmados de dengue até agora é de 21.811, bem menor que em 2002, quando a Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou 61.918 pessoas com a doença. As áreas de maior incidência são o Vale do Aço, central, Metropolitana de BH e Triângulo.

A campanha de combate à dengue deste ano vai ocorrer em todos os 853 municípios mineiros, mas terão atenção especial os 435 em que a SES já registrou a doença, onde a população soma dez milhões de pessoas.
 
– Neste período do ano, o metabolismo do mosquito é mais rápido, por causa do aumento da temperatura e também pelo aumento de água parada – alertou o coordenador do Serviço de Zoonoses da SES, Francisco Lemos.

O ciclo de reprodução pode durar de 15 a 30 dias.

De acordo com Francisco Lemos, estudantes e voluntários, além de funcionários das prefeituras, serão envolvidos na campanha contra a dengue. Ele lembra que, em 1998, Minas Gerais enfrentou uma epidemia de dengue, chegando a registrar quase 150 mil casos e três mortes.

– Se a população se descuidar, o número de casos pode aumentar e também os óbitos – disse.

 Francisco Lemos lembra que desde 2002 circulam no Estado três tipos de vírus, o que aumenta o risco de mortes pelo tipo hemorrágico para quem já teve a doença. Os sintomas da doença são dores de cabeça e muscular, enjôo e febre. O médico deve ser procurado ao primeiro sinal.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, em Belo Horizonte a campanha de combate à dengue terá eventos na Praça da Liberdade, com peças de teatro, ruas de lazer e distribuição de panfletos ensinando a eliminar os focos da doença.