Militares sírios bombardeiam área rebelde; jornalistas fogem

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 06:36, por: cdb

Militares sírios bombardeiam área rebelde; jornalistas fogem

Por Khaled Yacoub Oweis

AMÃ, 28 Fev (Reuters) – Forças sírias bombardearam na terça-feira redutos da oposição na província de Hama, matando 20 pessoas, e atacaram também zonas rebeldes de Homs, de onde dois jornalistas estrangeiros feridos conseguiram fugir.

Ativistas disseram que uma divisão blindada de elite, comandada por Maher al-Assad, irmão do presidente Bashar al-Assad, chegou a Homs durante a noite. Tanques com as palavras “Quarta Divisão Monstros” se aproximaram do sitiado bairro de Baba Amro.

A jornalista francesa Edith Bouvier e o fotógrafo britânico Paul Conroy, ambos feridos em um ataque na semana passada em Baba Amro, estão agora a salvo no Líbano, segundo fontes diplomáticas e da oposição. Não ficou claro como eles escaparam.

Na província de Hama, as forças de segurança bombardearam a localidade de Helfaya, reduto de protestos na atual rebelião contra Assad.

De acordo com ativistas, os bombardeios de terça-feira contra Baba Amro foram os mais violentos em três semanas de cerco. Moradores nesse e em outros bairros enfrentam escassez de água, alimentos e remédios.

Tentando projetar uma aura de normalidade, Assad sancionou uma nova Constituição para o país, que segundo as autoridades teve a aprovação de quase 90 por cento dos eleitores num referendo.

Mas grupos oposicionistas e governos ocidentais disseram que a votação de domingo foi uma manobra para desviar a atenção do mundo em relação à violência.

Para o chanceler francês, Alain Juppé, o governo “rompeu todos os limites da barbárie”. “E quando vejo que o presidente sírio desfilou por uma seção eleitoral de Damasco para esse referendo falso, isso nos deixa profundamente indignados”, disse ele à rádio RTL.

Juppé se queixou também da dificuldade para retirar civis feridos e jornalistas ocidentais de Homs. Na semana passada, a repórter norte-americana Marie Colvin e o fotógrafo francês Remi Ochlik foram mortos em Baba Amro, num bombardeio contra uma casa onde estavam Conroy e Bouvier, que ficaram feridos.

O Crescente Vermelho conseguiu retirar na segunda-feira três pessoas de Baba Amro, mas não os jornalistas estrangeiros, segundo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

(Reportagem adicional de Dominic Evans, Erika Solomon e Mariam Karouny em Beirute)

Reuters