Militantes do EI prometem explodir pirâmides egípcias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 8 de junho de 2016 as 11:02, por: cdb

O Estado Islâmico é um grupo terrorista proibido em uma série de países e que domina amplos territórios na Síria e no Iraque, pretendendo estender sua influência para o Norte da África

Por Redação, com Sputnik Brasil – de Beirute:

Os terroristas do grupo Estado Islâmico (proibido na Rússia) divulgaram um vídeo que mostra a destruição do templo de Nabu, localizado na parte oriental da antiga cidade de Nimrud, no Iraque.

À agência russa de notícias Sputnik teve acesso ao vídeo, mas por razões de não contribuição para a divulgação de propaganda islâmica, não o vai colocar no site
À agência russa de notícias Sputnik teve acesso ao vídeo, mas por razões de não contribuição para a divulgação de propaganda islâmica, não o vai colocar no site

No final deste vídeo, o militante diz que os terroristas do EI estão planejando destruir outras edificações antigas, construídos por “infiéis”. No momento o vídeo apresenta as pirâmides do Egito.

À agência russa de notícias Sputnik teve acesso ao vídeo, mas por razões de não contribuição para a divulgação de propaganda islâmica, não o vai colocar no site.

O Estado Islâmico é um grupo terrorista proibido em uma série de países e que domina amplos territórios na Síria e no Iraque, pretendendo estender sua influência para o Norte da África.

O grupo terrorista Estado Islâmico se autoproclamou um “califado global” em 29 de junho de 2014, se tornando imediatamente em uma ameaça explícita à comunidade internacional e sendo reconhecido como ameaça principal por vários países e organismos internacionais. Porém, o grupo terrorista tem suas origens ainda em 1999, quando um jihadista da tendência salafita, o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, fundou o grupo Jamaat al-Tawhid wal-Jihad.

Depois da invasão norte-americana do Iraque em 2003, esta organização começou se fortalecendo até se transformar, em 2006, no Estado Islâmico do Iraque. A ameaça representada por esta entidade foi reconhecida pelos serviços secretos dos EUA ainda naquela altura, mas reconhecida secretamente, e nada foi feito para contê-la. Como resultado, surgiu em 2013 o Estado Islâmico do Iraque e do Levante, que agora abrange territórios no Iraque e na Síria, mantendo a instabilidade e fomentando conflitos.

Escudo humano

Militantes do grupo terrorista EI que participam da defesa de Fallujah, no Iraque, estão usando civis como escudo humano, não permitindo que estes deixem a cidade, informou o emissário especial do presidente dos EUA para a coligação anti-Estado Islâmico, Brett McGurk.

– Os terroristas do Estado Islâmico continuam usando civis inocentes como escudo humano em Fallujah e ameaçam executar aqueles que deixarem a cidade – escreveu McGurk em sua conta no Twitter.

Segundo o diplomata, cerca de 16 mil pessoas conseguiram fugir da cidade sitiada, apesar das ameaças do Daesh.

McGurk também revelou que o exército iraquiano segue avançando e retomando novas partes da cidade, tendo encontrado algumas fossas comuns.

Fallijah, localizada na província ocidental de Anbar, está sob controle do Estado Islâmico desde o início de 2014. Na noite de 23 de maio, o governo iraquiano anunciou o início da operação para libertar a cidade, onde, segundo a ONU, ainda residem 50 mil civis. A operação está sendo conduzida pelo exército iraquiano e por militantes xiitas, com apoio da aviação da coalizão internacional.