Milhões enfrentam forte segurança para comemorar 2004

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de janeiro de 2004 as 13:28, por: cdb

Milhões de pessoas enfrentaram as baixas temperaturas e o risco de possíveis ataques extremistas para celebrar a chegada de 2004 na Europa e nos EUA.

Um esquema de segurança nunca visto antes marcou as comemorações nos Estados Unidos.
Em Nova York, cerca de 750 mil pessoas se reuniram na Times Square, a praça central da cidade, para a chegada do ano novo, apesar das revistas policiais, dos detectores de metal e de aviões patrulhando os céus.

O nível de alerta nacional para uma ameaça terrorista foi elevado, há dez dias, para o segundo mais grave.

Metralhadoras

Apenas vôos comerciais foram permitidos em Nova York, Las Vegas, Chicago e Washington durante o Réveillon.

Bueiros foram fechados, e caixas de correio, latas de lixo e bancas de jornais foram removidas.
“Acho que esse é o lugar mais seguro do mundo, nesta noite”, disse Andy Kelleher, de 39 anos.

“Tive que passar por três postos de controle, sem falar dos helicópteros no céu, as metralhadoras nos tetos dos prédios e os cães farejadores no metrô. Eles realmente nos revistaram vindo para cá.”

A cantora Cyndi Lauper animou a festa da cidade.

Em Las Vegas, atiradores de elite se posicionaram nos tetos de cassinos, barricadas de concreto fecharam uma série de rotas e bolsas foram revistadas.

Europa

A Turquia cancelou suas comemorações tradicionais de Ano Novo em Istambul por causa dos ataques suicidas do mês passado que deixaram 62 mortos.

Uma das maiores festas foi em Berlim, na Alemanha, onde se calcula que 800 mil pessoas tenham participado da comemoração na área do Portão de Brandemburgo, o monumento mais conhecido da cidade.

O Réveillon na capital alemã contou com um show de música pop e uma grande queima de fogos, que se repetiu em outras capitais européias.

Em Paris, a festa se concentrou na Avenida Champs-Elysées, onde aproximadamente 450 mil pessoas se reuniram para festejar.

Londres

Apesar de não terem sido divulgadas ameaças de ataques extremistas na França, pelo menos 4,5 mil policiais foram mobilizados para o patrulhamento da capital.

No centro de Londres, milhares de pessoas receberam 2004 na área próxima ao London Eye, a roda gigante instalada à beira do rio Tâmisa, perto do Parlamento.

Cerca de 100 mil pessoas foram para a região assistir cerca de três minutos de queima de fogos.
Muitos outros foram para a Trafalgar Square, local tradicional de comemoração do Ano Novo, que neste ano não abrigou nenhum evento especial.

O alerta quanto a possíveis ataques extremistas levou as autoridades britânicas a mobilizar 3 mil policiais nas ruas da capital britânica, de acordo com a agência de notícias France Presse.

Em outras partes da Grã-Bretanha, contudo, as condições meteorológicas causaram um impacto maior do que a preocupação com a segurança.

Em Liverpool (norte da Inglaterra) e em Edimburgo, na Escócia, eventos que estavam previstos para marcar a chegada do ano novo tiveram que ser cancelados devido ao mau tempo.

Rússia e espaço

Na Rússia, o Réveillon foi comemorado 11 vezes, em cada uma das regiões do país onde vigoram fusos horários diferentes.

Para receber 2004 na Praça Vermelha, no centro de Moscou, as pessoas tiveram que enfrentar nada menos que três bloqueios policiais.

Muitos dos que pretendiam comemorar foram proibidos de entrar nessa e em outras praças da cidade porque estavam carregando bebidas alcoólicas.

Além de temer brigas envolvendo pessoas alcoolizadas, as autoridades russas trabalharam para evitar que extremistas chechenos tentassem realizar algum ataque.

A France Presse informou que 300 mil policiais tiveram que trabalhar no Réveillon nas principais cidades da Rússia.

No espaço, os ocupantes da Estação Espacial Internacional, o russo Alexander Kaleri e o americano