MG: rompimento de barragem deixa mortos e feridos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 6 de novembro de 2015 as 10:28, por: cdb

Por Redação, com agências – de São Paulo/Brasília:

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Extração de Ferro e Metais Básicos de Mariana (Metabase) afirmou que entre 15 e 16 pessoas teriam morrido e 45 estão desaparecidas em um rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco, no interior de Minas Gerais, na tarde de quinta-feira. Já a empresa contabiliza, até o início da tarde desta sexta-feira, um morto e 13 desaparecidos. Porém, ainda não há um balanço oficial de vítimas.

As atividades na unidade de Germano da Samarco próximas ao local do incidente, estão paralisadas. A empresa é uma joint venture da Vale com a australiana BHP.

Homem em meio a lama após rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco, no interior de Minas Gerais
Homem em meio a lama após rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco, no interior de Minas Gerais

Com o rompimento da barragem do Fundão, os rejeitos avançaram sobre o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, atingindo 90 % da uma comunidade com cerca de 560 habitantes e 170 casas, disse o assessor de imprensa da prefeitura de Mariana, Juarez Messias, na quinta-feira.

A Samarco ainda não havia divulgado nesta sexta-feira um novo posicionamento. Na noite de quinta-feira, afirmou que “está mobilizando todos os esforços para priorizar o atendimento às pessoas e a mitigação de danos ao meio ambiente”. Não há informações sobre as causas do rompimento da barragem.

A capacidade de produção da Samarco, incluindo outras unidades, é de aproximadamente 30 milhões de toneladas por ano.

Mineradora Samarco

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais informou nesta sexta-feira que cerca de 500 moradores de áreas afetadas pelo rompimento de duas barragens da mineradora Samarco, em Mariana (MG), já foram resgatados pela corporação. No total, 105 Bombeiros e 20 viaturas estão em Bento Rodrigues, área rural onde ocorreu o acidente.

De acordo com o comunicado, as vítimas primeiramente tomam banho, para a retirada de resíduos de ferro, e, em seguida, são encaminhadas para unidades de saúde da região.

A corporação informou ainda que quatro feridos, dois adultos e duas crianças, foram resgatados e levados para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Três helicópteros auxiliam nos trabalhos e duas retroescavadeiras estão sendo usadas para abrir passagem e permitir acesso aos locais mais afetados pela tragédia.

Segundo boletim atualizado na manhã desta sexta-feira pelo Hospital Monsenhor Horta, em Mariana (MG), seis pessoas receberam alta e uma permanece internada. A unidade de saúde recebeu, até o momento, oito vítimas da tragédia. Uma delas já chegou morta ao local.

Pacientes

Seis pessoas receberam alta e uma permaneceu internada no Hospital Monsenhor Horta, em Mariana (MG), após o rompimento de duas barragens de rejeitos da mineradora Samarco. De acordo com boletim atualizado nesta manhã, a unidade de saúde recebeu, até o momento, oito vítimas da tragédia. Uma delas já chegou morta ao local.

A assessoria de imprensa do hospital informou que o paciente que segue internado deve ser transferido para uma unidade de alta complexidade em Belo Horizonte, mas ainda não houve previsão para que o transporte para a capital mineira seja feito. A unidade em Mariana atende apenas casos de baixa e média complexidade e não pode fazer, por exemplo, avaliações neurológicas de pacientes.

O hospital destacou que toda a equipe de profissionais de saúde no município permanece mobilizada e foi reforçada, mas a expectativa de que mais vítimas da tragédia sejam levadas com vida à unidade diminui à medida que o tempo passa.

Doações para desabrigados

O ginásio da cidade de Mariana já está recebendo doações para as famílias que tiveram suas casas destruídas pela onda de lama e detritos que desceu da barragem de rejeitos da Mineradora Samarco.

A professora Karina Barbosa, que mora em Mariana, disse à Agência Brasil que as informações sobre o acidente ainda são desencontradas. “Ainda não se sabe quase nada”, afirmou. “Olha, a cidade gira em torno da mineração. As pessoas estão apreensivas. Em frente ao ginásio está ficando bem cheio e está engarrafado’”, acrescentou.

Douglas Couto, assessor da prefeitura, disse que as equipes de resgate estão em Bento Rodrigues, próximo ao local do acidente. “As famílias ainda estão no local. Elas vão ser trazidas para quadra de esportes de Mariana. As famílias perderam tudo. A lama tomou conta até da torre da igreja”, afirmou.

A prefeitura de Mariana pediu a colaboração da população no sentido doar principalmente Itens como roupas, colchões, água mineral e produtos de higiene pessoal são os mais importantes. Moradores vizinhos a Mariana também se mobilizam para arrecadar donativos.

De acordo com o capitão Thiago Miranda, do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, há uma morte confirmada até o momento. Trata-se de um homem que teve um problema cardíaco ao ver o desastre e faleceu. Segundo Miranda, o número confirmado de desaparecidos, até o momento, é de 16 pessoas.

– Agora, na parte da noite, está sendo feito um trabalho de contagem dos desaparecidos, de confirmação junto a parentes, amigos, colegas de trabalho que estavam próximos, para que tenhamos um número mais preciso de pessoas que ainda não foram encontradas – disse Miranda ao Repórter Brasil, da TV Brasil.