Método que multiplica células-mãe é criado em Paris

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 27 de outubro de 2003 as 21:14, por: cdb

Uma equipe do Instituto Cochin de Paris, dirigida pelo professor Axel Kahn, desenvolveu um novo método para multiplicar o número de “células-mãe”, suscetível de permitir o desenvolvimento de novas estratégias terapêuticas.

Estas células do sangue, também chamadas células-mãe hematopoéticas, têm a propriedade de se transformar em qualquer célula sanguínea durante toda a vida.

Presentes em sua maior parte na medula óssea e, em menor medida, no sangue, estas células têm a capacidade, em função das necessidades do organismo, de se renovar, ou se diferenciar, para reconstituir o conjunto de células do sangue de um indivíduo, especialmente depois de um transplante.

Assim, uma célula-mãe pode, em princípio, se tornar, indistintamente, célula do coração, célula do braço, ou célula do intestino.

O número destas células-mãe é, no geral, insuficiente para pensar em utilizá-las no transplantes de medula, ou em terapias celulares ou gênicas. Para minimizar esse inconveniente, os pesquisadores se esforçaram para encontrar os meios para favorecer sua multiplicação, especialmente recorrendo a fatores de crescimento.

Esses produtos apresentam, porém, um inconveniente significativo: se, como se prevê, multiplicam as células-mãe, também as fazem perder sua capacidade de produzir todo tipo de células do sangue, o que diminui consideravelmente seu interesse.

A técnica desenvolvida pelo professor Kahn e seus colegas parece superar, porém, este obstáculo: para provocar a multiplicação das células-mãe, recorrem a uma proteína chamada HOXB4, que tem a propriedade de estimular a produção destas células sem que seja necessário introduzir no organismo o gene necessário a sua produção.