Metade da madeira no país é negociada ilegalmente

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 12 de dezembro de 2002 as 23:35, por: cdb

50% da madeira brasileira são negociados de forma ilegal. A informação é do representante da Organização não Governamental Amigos da Terra, Roberto Esmeraldi, durante audiência pública realizada na quarta-feira (11), na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Federal, que investiga o tráfico de animais e plantas silvestres.

Esmeraldi disse que existe no Brasil um aumento no custo da madeira devido ao pagamento de propinas e que o contexto de políticas públicas relacionadas a atividades florestais é desfavorável. Ele defendeu também uma ação rigorosa no combate à corrupção dentro dos órgãos de fiscalização como o Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, no sentido de prevenir a extração ilegal de madeira em todo o país.

“Eu acho que a gente tem que agir no combate à corrupção dentro dos órgãos públicos, separando atividades de licenciamento e de fiscalização, pois quando estão na mão da mesma pessoa, lá na ponta fica muito fácil influenciá-la. Mas isso não é suficiente, precisa ser complementada com ações de fomento, crédito por parte de instituições públicas para os que querem trabalhar na legalidade para atingir a sustentabilidade econômica”.

O relator da matéria, deputado Sarney Filho (PFL-MA), defendeu o aperfeiçoamento da legislação que trata de crimes ambientais e um maior controle da atuação dos órgãos de fiscalização. “A legislação é boa, mas falta aperfeiçoá-la. Também é preciso aperfeiçoar os nossos órgãos, tanto em nível municipal como estadual e federal, pois eles têm deficiências muito grandes. Então, é preciso que a gente caminhe no sentido de suprir essas deficiências”.

ACUSADOS

A CPI ouviu também os depoimentos do analista do Ibama, Hévio Luiz Couvre, e de Nei Carlos Guimarães, proprietário de madeireira no Rio de Janeiro. Hévio é acusado de fornecer ilegalmente laudos técnicos a Alfred Mark, dono de uma fazenda no sul de Minas Gerais, onde foram apreendidas 25 toneladas de pau brasil. A madeira em extinção era exportada para os Estados Unidos.

A CPI do tráfico de animais fará uma audiência externa no estado do Pará, no final desta semana, para ouvir representantes de ONG’s, do Governo, do Ministério Público e donos de madeireiras no estado.