Mercado reduz previsão de inflação em 2012 para 5,06%

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 9 de abril de 2012 as 10:42, por: cdb
Guido Mantega
Guido Mantega comemorou o resultado e disse que o dado "abre a possibilidade de um crescimento maior (da economia) neste ano"

O mercado financeiro reduziu suas previsões para a inflação deste ano, mostrou o relatório Focus do Banco Central nesta segunda-feira. O mercado estima que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechará o ano em 5,06%, ante 5,27% no relatório da semana passada.

A meta oficial de inflação é de 4,5%, com margem de tolerância de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

As projeções de inflação para 2013 foram mantidas em 5,50%. Para o IPCA em 12 meses, as projeções do relatório Focus apontam alta de 5,44%, ante 5,40% na semana passada.

No acumulado de 12 meses até março, o IPCA avançou 5,24%, desacelerando em relação aos 5,85% até fevereiro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na quinta-feira.

– O relatório Focus de hoje finalmente reagiu de forma clara às últimas evidências econômicas, em especial ao IPCA apresentado semana passada -disse, em nota, o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito.

Selic

Os analistas mantiveram a previsão de que a taxa Selic, atualmente em 9,75% ao ano, cairá para 9% na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central em 17 e 18 de abril.

O mercado prevê que a Selic terminará 2012 nesse nível e voltará a subir em março, abril, maio e junho de 2013, quando retornará ao patamar de dois dígitos, a 10%.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), as projeções do relatório Focus apontam uma expansão de 3,20% neste ano e de 4,20% em 2013, sem alterações em relação ao relatório da semana passada.

Perfeito, da Gradual, prevê que a taxa de expansão estimada para o PIB este ano será corrigida para baixo após a divulgação dos dados do primeiro trimestre, em 1º de junho. Ele estima que a economia cresceu 2,7% nesse período, ante os primeiros três meses do ano passado.

O governo tem buscado estimular a atividade econômica, a fim de obter uma expansão na casa dos 4% este ano.

Ao comentar, na última quinta-feira, o resultado do IPCA de março -alta de 0,21%, a menor taxa desde julho de 2011- o ministro da Fazenda, Guido Mantega, comemorou o resultado e disse que o dado “abre a possibilidade de um crescimento maior (da economia) neste ano”.

A taxa de câmbio prevista no relatório Focus para o fim de 2012 é de 1,78 real por dólar, em mais uma ligeira elevação, ante 1,77 real por dólar na semana passada. Na quinta-feira, o dólar fechou a 1,8247 real para venda, em baixa de 0,19%.