Membros da Otan decidem mudar o comando militar da aliança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 12 de junho de 2003 as 16:00, por: cdb

Ministros da Defesa de todos os países membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) decidiram, numa reunião em Bruxelas, na Bélgica, mudar totalmente o comando militar da aliança.

A nova estratégica prevê uma organização mais enxuta e flexível das forças da organização, para que elas possam se deslocar mais facilmente no caso de ameaças de segurança além das fronteiras da aliança.

O secretário-geral da Otan, George Robertson, disse que esta é a reforma mais radical já feita nos 54 anos de existência da instituição e deve aumentar muito sua capacidade militar.

A reunião em Bruxelas também discute como será o processo de inclusão dos novos membros da Otan, que passará de 19 para 26 membros no ano que vem.

Iraque

Entre as medidas para racionalizar a estrutura da organização, está o corte pela metade das representações regionais.

O principal quartel-general continuará a ser na Bélgica, enquanto o comando paralelo nos Estados Unidos, na Virginia, será reformulado.

A guerra no Iraque causou uma grande divisão na aliança, com a oposição de vários países membros ao conflito.

Entre as responsabilidades atualmente a cargo da Otan estão o patrulhamento de paz nos Balcãs e o comando da ação internacional de estabilização do Afeganistão.

A retirada de sedes regionais contou com a oposição da Espanha e da Grécia.

Os dois países devem perder prestígio militar e empregos quando as bases forem fechadas.