McCartney faz show na Praça Vermelha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 24 de maio de 2003 as 17:05, por: cdb

Após uma espera de quase 20 anos, Paul McCartney concretizou neste sábado seu sonho de tocar em Moscou, na Praça Vermelha. Concretizou o sonho também de milhares de fãs na Rússia, onde a música dos Beatles foi durante décadas tachada pelo governo soviético como propaganda capitalista.

Fim da espera

Mesmo após a derrocada do regime comunista, McCartney tentou mas não conseguiu autorização para tocar no país. A espera acabou.

Cerca de 20 mil pessoas acompanharam o show na Praça Vermelha, bem ao lado do mausoléu de Lenin, Stalin e outros antigos líderes russos.

O ex-beatle subiu ao palco após encontrar-se com o presidente russo Vladimir Putin. McCartney perguntou a Putin se a música dos Beatles era de fato proibida na antiga União Soviética.

– Não era exatamente proibida, mas o fato de você não poder se apresentar na Praça Vermelha desde os anos 80 diz muito – respondeu o presidente, que foi agente da temida KGB. – Para alguns, a arte não parecia se dissociar de ideologia.

Putin acrescentou que os Beatles, apesar da desaprovação comunista, tinham muitos fãs no país.

– Era muito popular. Mais que popular. Era como um sopro de ar fresco, uma janela para o mundo lá fora – disse.

O presidente guiou McCartney por uma visita ao Kremlin, e McCartney retribuiu cantarolando Let it Be. Perguntado sobre o significado da música Back in the U.S.S.R, o ex-beatle respondeu que a União Soviética lhe parecia uma “terra mítica”.

– É bom conhecer a realidade. Sempre suspeitei que os russo tinha um grande coração. Agora sei que é verdade.

É a primeira visita de McCartney ao país. Na sexta, ele recebeu o título de professor honorário do conservatório de São Petersburgo, a mais antiga instituição musical russa.