Maurren Maggi garante vaga no Mundial

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de abril de 2003 as 10:11, por: cdb

Maurren Higa Maggi surpreendeu neste domingo, em São Caetano do Sul, no Torneio da Federação Paulista de Atletismo. Além de estabelecer a melhor marca do mundo no ano no salto em distância, com 6,90 metros, bateu o recorde sul-americano do salto triplo. Diminuiu em 21 centímetros a marca que já era sua, com um salto de 14,53 m.

“O resultado a levaria a uma final de Mundial e à briga pelo pódio”, afirmou o técnico Nélio Moura, que agora vai repensar a participação de Maurren no Mundial de Paris, em agosto, após os Jogos Pan-Americanos de São Domingos, na República Dominicana, no mesmo mês.

O salto triplo está deixando de ser competição secundária para Maurren. “Podemos pensar em dobrar a participação no Mundial”, frisou o técnico, enquanto Maurren classificou o recorde no triplo como “uma surpresa que indica um bom começo de temporada outdoor”.

Maurren deveria ter ido para Fort de France, na Martinica, sábado, mas perdeu o vôo. Para não entrar no GP do Brasil (prova do calendário oficial da Associação Internacional de Federações de Atletismo), domingo, sem ter competido, decidiu fazer a preparação em São Caetano. “A idéia era não saltar de cara em Belém. Saiu melhor do que esperávamos”, analisou Nélio.

As européias, como a russa Tatyana Kotova, líder do ranking mundial, e a húngara Tünde Vaszi, terceira (Maurren é a segunda), ainda não saltaram muito na temporada ao ar livre, que está no início. Mesmo assim, Nélio afirmou que o salto de Maurren, de 6,90 m, é muito bom. “Várias atletas terminarão o ano sem atingir essa marca.”

Maurren vai saltar no 19.º Grande Prêmio Brasil Caixa de Atletismo domingo (4), no Estádio Olímpico do Pará, em Belém, e em junho embarca para uma série de meetings na Europa.

Índices – No Chile, Elisângela Adriano conseguiu o índice A para o Mundial, no arremesso do peso (18,59 m), e Luiz Fernando da Silva, a qualificação para o Pan, no lançamento do dardo (77,94 m). André Domingos, nos 200 m (20s71), e Márcio Simão, nos 110 m com barreiras (13s56), conseguiram o índice B para o Mundial.