Marta Suplicy mantém ataques e é criticada até pelo PT

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 9 de setembro de 2004 as 17:23, por: cdb

As declarações da prefeita Marta Suplicy (PT) de que a eleição de José Serra (PSDB) em São Paulo causaria uma crise permanente com o governo federal continuam recebendo críticas da oposição, para quem trata-se de “desespero”, e até do próprio PT. Mesmo assim, a prefeita manteve suas posições nesta quinta-feira.

– Eu noto que eles acusaram o golpe porque reagiram de forma machista e tentando desqualificar – disse a petista em visita ao Sindicato de Transporte de Carga.

– Machista porque já começaram a me chamar de novo de dona Marta.

Ela havia dito na quarta-feira que os paulistanos devem escolher o caminho que querem para o país nos próximos anos.

– A união e o aprofundamento da atual política econômica de crescimento ou o estado de crise política se alastrando durante dois anos.

Sobre a reação de Serra, que classificou as acusações de “chantagem e bobagem”, Marta disse nesta quinta-feira que este é o estilo do tucano, “de se pôr por cima da carne seca e de ser o dono da verdade”.

Marta ainda acusou Serra de querer usar sua possível vitória na cidade de São Paulo como “atalho” para as eleições presidenciais de 2006.

Serra também voltou ao tema nesta quinta-feira.

– Foi uma declaração infeliz e agora ela tem que reconhecer que fez uma declaração infeliz – disse o tucano em caminhada pelo Largo da Batata, em Pinheiros.

– Isso revela a resistência que ela tem a um dos pilares da democracia que é a alternância do poder – reiterou.

Em relação à acusação de ter sido machista, Serra disse que isto é “bobagem e bobagem não tem sexo”.