Marinor Brito cobra mais recursos para educação 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 25 de agosto de 2011 as 17:01, por: cdb

Em pronunciamento nesta quinta-feira (25), a senadora Marinor Brito (PSOL-PA) disse que o Brasil só terá uma educação de qualidade quando aplicar pelo menos 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação. A senadora criticou o atual percentual de 7%, previsto pelo governo no novo Plano Nacional de Educação (PNE), em tramitação no Congresso Nacional.

Marinor Brito ressaltou que o percentual de 10% também é defendido pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, mas aproveitou seu discurso para criticar editorial do jornal Folha de São Paulo, do último dia 22, que questiona a elevação de gastos em educação.

O jornal, segundo ela, avalia as emendas ao texto original do Plano Nacional como um desejo de “cada parlamentar de deixar sua marca em um projeto de inegável relevância” e considera que as alterações podem tornar o plano inexeqüível.

A senadora esclareceu que o compromisso do PSOL é com a melhoria da educação e que o governo não teve “respeito, decência e honestidade intelectual” de fazer balanço do PNE que vai ser substituído, tendo apresentado ao Congresso Nacional uma nova proposta sem esses dados, garantindo apenas que 7% são “mais que suficientes” para o setor.

Na avaliação de Marinor Brito, a educação tem de ser regida por um plano que atenda aos interesses dos filhos da classe trabalhadora, em consonância com a realidade, capaz de enfrentar os baixos índices educacionais do país; o deslocamento dos pobres para a escola; a capacitação continuada dos profissionais da educação; a defasagem salarial; e as péssimas condições de trabalho dos educadores.

Marinor Brito disse ainda que a escola pública precisa ser capaz de recolher das ruas as crianças que hoje só tem como alternativa a prostituição juvenil e as drogas, o que as torna presas fáceis do tráfico de seres humanos.

Da Redação / Agência Senado