Marinha encontra barco com 727 imigrantes em Mianmar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 29 de maio de 2015 as 11:41, por: cdb
Refugiados de Bangladesh em acampamento provisório em Mianmar
Refugiados de Bangladesh em acampamento provisório em Mianmar

 

A Marinha de Mianmar apreendeu uma embarcação com 727 pessoas na costa sul do país nesta sexta-feira, informou o governo, cerca de uma semana após um barco similar, com cerca de 200 imigrantes de Bangladesh, ter sido encontrado.

A nacionalidade das pessoas no barco era incerta. O Ministério de Informação de Mianmar descreveu as pessoas como “bengalis”, usando o termo que o governo usa para descrever a minoria muçulmana rohingya perseguida no país, assim como imigrantes de Bangladesh.

Mianmar insistiu que não era o culpado pelo fluxo mais recente no sudeste asiático de imigrantes em barcos, em um encontro regional sobre a crise nesta sexta-feira na Tailândia, à medida que a ONU afirma que milhares de imigrantes vulneráveis continuam à deriva no mar e precisavam de resgate urgente.

Mais de 3 mil imigrantes chegaram à Indonésia e à Malásia desde que a Tailândia iniciou uma ofensiva contra gangues de tráfico de pessoas. Estima-se que 2.600 pessoas estejam à deriva.

– A Marinha de Mianmar está transportando o barco para sua base na ilha de Hainggyi – disse Tun Kyaw Kyaw, vice-diretor-geral da Divisão Ayeyarwady do governo, responsável pela região onde a base está localizada.

Fotografias postadas na página do Facebook do Ministério da Informação mostraram diversos homens amontoados no deck, enquanto oficiais uniformizados, um deles com um rifle, vigiavam de cima. As mulheres podiam ser vistas nas cabinas da embarcação.

Cúpula sobre imigrantes

A Malásia convidou os líderes da Indonésia, Tailândia e Mianmar para uma cúpula de emergência sobre a crise de imigrantes em barcos no sudeste asiático, disse uma autoridade do Ministério de Relações Exteriores da Malásia nesta sexta-feira.

– A Malásia está preparada para sediar – disse a autoridade, que não quis ser identificada. Perguntada sobre quando a cúpula provavelmente aconteceria, a autoridade disse: “Demorará para organizar, e não sabemos ainda”.

A autoridade participava de um encontro intergovernamental de um dia em Bangcoc sobre a crise de imigrantes.