Manifestação pela democracia reprimida em Luanda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 10 de março de 2012 as 06:10, por: cdb

Alguns dos jovens que convocaram a manifestação deste sábado a pedir a demissão da presidente da Comissão Nacional Eleitoral e de José Eduardo dos Santos foram agredidos durante a semana. No início da concentração, a polícia interveio à bastonada, deixando pelo menos um ferido. Artigo |10 Março, 2012 – 13:04Mário Domingos foi agredido na semana que antecedeu a manifestação de protesto em Luanda

«Tivemos que dispersar, porque logo que nos começámos a concentrar, a polícia, e civis que consideramos serem agentes à paisana, começaram a bater e a prender», disse Adolfo Campos à agência Lusa. A repressão policial deixou ferido o rapper Ikonoclasta (Luaty Beirão), atingido na cabeça.

A manifestação convocada pelo Movimento Revolucionário Estudantil exigia o afastamento da presidente da Comissão Nacional Eleitoral e a demissão de José Eduardo dos Santos, que acusam de se manter há 32 anos na presidência de Angola sem ter sido eleito. “A continuação de Suzana Inglês à frente da CNE não garante eleições livres nem justas e é para exigir o seu afastamento que nos vamos manifestar nas ruas. Vamos também exigir a demissão de José Eduardo dos Santos, Presidente não eleito e há 32 anos no poder”, disse Mário Domingos. Com a última mudança na Constituição, as eleições presidenciais desapareceram, com o candidato do partido mais votado a ser nomeado chefe de Estado.

Durante a semana, dois organizadores do protesto foram raptados e espancados por desconhecidos, antes de serem atirados para fora de um carro em andamento, segundo o relato de Mário Domingos, um dos ativistas vítima deste sequestro, que aponta responsabilidades ao dirigente do MPLA Bento Kangamba, com quem os agressores estariam em contato durante o sequestro.

Artigos relacionados: “Só iremos às eleições se houver verdade eleitoral”